Flores

Alamanda: além de linda, funciona como um pesticida natural

A Alamanda (Allamanda cathartica) é uma planta nativa da América do Sul e da América Central, pertencente à família Apocynaceae e popularmente também conhecida como alamanda-amarela, quatro-patacas ou dedal-de-dama.

No Brasil, a alamanda ocorre nos domínios fitogeográficos Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica, sendo amplamente cultivada em jardins e no paisagismo urbano de todas as regiões do país.

É uma trepadeira arbustiva de médio porte, que cresce de forma gradual e vigorosa apesar de seu tamanho depender do espaço disponível e do cultivo adequado.

Pode atingir até 3 metros de altura ou comprimento das hastes. Seus ramos, onde as flores brotam, são flexíveis e semi lenhosos, permitindo diversos arranjos e composições. Porém, em plantas adultas, eles ficam pesados e precisam de apoio e condução.

Com folhagem densa e de cor verde-bandeira, a planta dá flores que trazem alegria e vivacidade a ambientes externos. A cor mais comum de suas pétalas é o amarelo, mas existem também alamandas de outras cores, como roxa, rosa e branca. O fruto é uma cápsula esférica, espinhosa e que abriga numerosas sementes aladas.

O gênero Allamanda compreende um total de 15 espécies da América do Sul e Central, nomeadas por Linnaeus em homenagem ao médico e botânico suíço Dr. Frédéric-Louis Allamand (1736 – 1803), que visitou a República Cooperativa da Guiana no início do século XVIII.

As alamandas tornaram-se populares nos jardins dos trópicos, onde algumas espécies foram naturalizadas ou se tornaram invasivas. Em países de clima temperado, o cultivo de alamandas é realizado em estufa.

A alamanda-rosa pertence a uma outra espécie do gênero: a Allamanda blanchetii, que é nativa da região Nordeste do Brasil.

Todas as partes da planta são consideradas tóxicas para animais (inclusive o ser humano), principalmente seu látex. O extrato de folhas, flores e caules da planta tem sido estudado pela fitocosmética, após testes que demonstram atividade bactericida.

Como cultivar a trepadeira Alamanda

Por serem plantas de climas tropicais, as alamandas gostam de calor e luz direta, e, com alguns cuidados, crescem com saúde e florescem durante o ano todo. Elas são comuns decorando jardins, canteiros e quintais, mas também se adaptam a vasos.

As alamandas podem ser propagadas através de sementes ou estacas.

Germinação das sementes

As sementes da Alamanda ficam dentro de seus frutos que, quando maduros, se abrem e as espalham pelos arredores, dando origem a novas plantas. É possível controlar sua propagação, retirando os frutos ainda verdes e germinando suas sementes.

Os frutos são arredondados, com espinhos moles sobre sua superfície, e nascem nas pontas dos ramos. Recolha e deixe-os secar completamente, colocando-os sobre um pedaço de papel toalha. Depois, basta abri-lo e aproveitar as sementes em seu interior, prontas para a germinação.

Plantio por estaquia em vaso

O método mais comum de propagação das alamandas é a estaquia. Ele é bem simples: basta cortar os ramos em suas terminações, com uma tesoura de poda limpa, e colocá-los em um recipiente com água. Em uma semana, as novas raízes começam a aparecer.

É importante que o recipiente não esteja cheio de água: cobrir dois dedos dos ramos com o líquido já é suficiente e evita o apodrecimento da planta. Este processo deve ser feito inteiramente na sombra, já que a luz direta aquece a água, aumentando sua temperatura e prejudicando o desenvolvimento da raiz.

Plantio por semente em vaso

A germinação das sementes da alamanda deve acontecer durante meados do outono, para que a muda consiga aproveitar os meses quentes. Para fazê-la, utilize um vaso limpo com furos no fundo. Nele, adicione substrato rico em Nitrogênio, para que as raízes se desenvolvam de maneira saudável.

Posicione as sementes no recipiente, mantendo cerca de dois centímetros de distância entre elas. Regue o substrato, cubra com um plástico filme e deixe em um local iluminado até o surgimento das primeiras folhas, dentro de poucos dias. Durante este período, o solo deve estar sempre úmido, mas nunca alagado.

Plantio da alamanda em jardins

Antes de plantar as alamandas no seu quintal, jardim, horta ou terrário, certifique-se que o solo tenha pelo menos 70 centímetros de profundidade. Também providencie suportes ou estacas para os ramos da trepadeira, se ela não for plantada próxima a paredes, pérgolas, cercas ou similares. Porém, caso o efeito desejado seja a construção de cercas vivas, os apoios são dispensáveis.

A alamanda pode compartilhar espaço com outras espécies de plantas sem grandes preocupações. Porém, conforme a planta cresce, é necessário atenção para que os ramos não caiam sobre suas vizinhas, sufocando-as.

Como cuidar da trepadeira Alamanda

Solo

As alamandas se dão bem em solos arenosos e bem drenados, especialmente se elas estiverem em vasos. Ao contrário dos ramos e das folhas, as suas raízes preferem uma temperatura mais amena. A própria sombra da planta adulta dá conta de impedir o calor excessivo sobre o solo, porém, no caso de mudas, uma boa opção é distribuir musgo ao redor do caule, a fim de manter a umidade e a temperatura do solo.

Para que as raízes tenham espaço para se desenvolver, é importante também que o solo tenha pelo menos 70 centímetros de profundidade.

Rega

As folhas desta trepadeira acumulam água, e, portanto, a rega deve ser moderada, ainda que constante. É importante nunca deixar o solo alagado, já que isso faz com que as folhas fiquem amareladas e caiam, além de deixar a planta vulnerável a fungos.

Durante os meses quentes, regue tanto as alamandas em vasos quanto as do solo diariamente ou a cada dois dias. No frio, este intervalo se estende a até três dias, dependendo do nível da chuva e da umidade do ar. Nunca faça a rega sob luz direta: prefira os primeiros horários da manhã ou à noite.

Luz e clima

A alamanda precisa receber, no mínimo, seis horas de luz direta por dia. Ela tolera a sombra parcial, mas prefere espaços intensamente iluminados pelo sol, daí seu amplo uso para decorar espaços externos.

Em ambientes internos, assegure que o vaso esteja próximo a janelas ou portas que recebam a luz solar, e que as paredes próximas sejam claras, para que a planta aproveite a iluminação rebatida. As alamandas também não gostam de frio e não suportam geadas, necessitando de especial atenção durante o inverno.

Fertilização

A floração saudável e constante das alamandas depende diretamente da fertilização de seu solo. Nos meses quentes, quando o número de botões cresce, priorize o fósforo, elemento que aumenta a capacidade da planta de absorver os nutrientes do solo, fortalecendo as futuras flores. O cálcio também é necessário neste momento, podendo ser suprido pela adição de farinha de cascas de ovos secas no substrato.

Durante o crescimento, a alamanda também precisará de nitrogênio e potássio, que podem ser encontrados em adubos NPK. A fórmula ideal para esta trepadeira é a 4-14-8, ou seja, quatro partes de nitrogênio, 14 de fósforo e 8 de potássio.

Poda

Para conduzir os ramos da alamanda, de forma que eles se entrelaçam no espaço desejado, é necessário realizar podas, retirando os galhos que crescem no sentido contrário. A poda também estimula o nascimento de novos ramos, e, por isso, deve ser feita preferencialmente no inverno ou no começo da primavera, antes do período de floração intensa.

Utilize tesouras de poda limpas, a fim de evitar a proliferação de bactérias e fungos na planta, para cortar as terminações dos ramos.

Anúncio

Uso como pesticida

As folhas da alamanda são atrativas não só pelo seu verde brilhante, mas também por serem a matéria prima para um pesticida natural. Prepará-lo é bem simples: colha cinco folhas adultas, coloque-as em um recipiente limpo e adicione meio litro de água fervente. Lembre-se de manusear a planta com cuidado, já que ela produz uma substância tóxica.

Deixe as folhas na infusão por meia hora, filtre a mistura e dissolva em mais meio litro de água. Depois, basta pulverizar a substância sobre áreas atacadas por pulgões ou cochonilhas, pequenos parasitas brancos que costumam ficar nas folhas e nos ramos das plantas.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.