Hortaliças Plantas

Boldo: grande aliado do sistema digestivo e muito fácil de cultivar

Muito popular no Brasil, o boldo é uma planta medicinal muito utilizada para problemas relacionados ao estômago e ao fígado.

O boldo é uma planta rica em propriedades medicinais, muito usada como recurso caseiro principalmente para estimular as funções do fígado, melhorar a digestão e aliviar sintomas de ressaca. Apesar de promover diversos benefícios, é necessário ter cautela em relação ao seu uso abusivo. Em grandes quantidades e o consumo constante pode causar efeitos colaterais, por isso, conte sempre com uma orientação profissional.

Mesmo encontrado em cápsulas ou sucos, a forma mais comum de consumo do boldo ainda é o chá, que pode ser preparado facilmente por meio das folhas secas, sachês ou da planta retirada diretamente dos quintais.

No Brasil, o mais comum é o boldo-do-chile (Peumus boldus Molina) e o segundo mais consumido é o brasileiro (Plectranthus barbatus).

Mas existem diversos tipos de plantas conhecidas popularmente como boldo. A depender da região do Brasil, ou do mundo, cada pessoa conhece uma planta distinta e faz usos diferentes.
No entanto, é bom ficar atendo e aprender a identificar algumas características básicas de cada planta, a fim de evitar intoxicações.

Por isso, vamos apresentar aqui algumas das principais plantas conhecidas como boldo, que também podem ter outros nomes dependendo da região, e que são usadas na medicina popular.

Boldo-do-Chile ou Boldo verdadeiro (Pneumus boldus Molina)

Planta nativa dos Andes chilenos, o Pneumus boldus Molina é uma árvore com 12-15 m de altura, com folhas simples, opostas, 4-6 cm de comprimento e 2-5 cm de largura, pecioladas, de formato oval-elíptico, consistência coriácea (dura) e superfície áspera.

Esta espécie quase não é cultivada no Brasil, sendo possível encontrá-la em regiões mais frias. É usada na formulação de diversos fitoterápicos registrados no Brasil.

Boldo-do-Brasil (Plectranthus barbatus)

Apesar do nome, essa espécie de boldo não é nativa do Brasil, mas da Índia. É, possivelmente, a espécie mais amplamente cultivada e utilizada no País.

Planta herbácea ou arbustivas, com até 1,5 m de altura, com folhas opostas, simples de formato ovalado, bordas dentadas, 5-8 cm de comprimento, pilosas (textura macia), muito aromáticas e de sabor amargo. Inflorescências eretas com flores azuis.

Apenas as folhas possuem aroma e são utilizadas maceradas com água ou preparadas no vapor.

Boldo-grande ou falso-boldo (Plectranthus comosus Sims.)

Esta outra espécie de boldo, também de origem indiana, é muito semelhante ao boldo-do-brasil, sendo utilizada da mesma forma e para os mesmos fins. As folhas apresentam pequenas pontuações translucidas, quando observadas contra a luz.

Apresenta amargor bastante elevado tanto nas folhas quanto nos talos. Mas o que difere mais facilmente as duas espécies é o tamanho, como o nome já diz, o boldo-grande pode chegar a mais de 2 m de altura e as inflorescências são maiores e com mais flores adensadas.

Boldo de jardim (Plectranthus neochilus)

Planta de origem africana, herbácea e muito ramificada, a Plectranthus neochilus, tem folhas pequenas, de coloração verde-claras, quase triangulares, dispostas compactamente.

Possuem sabor levemente amargo e odor forte, principalmente quando está florida, por isso também conhecida como boldo-gambá.

É bastante utilizada como planta ornamental em vasos, floreiras e canteiros pela sua bela ramagem e folhas quase prateadas.

Boldo-miúdo ou hortelã-grosso (Plectranthus amboinicus)

Planta originária da Oceania (Papua Nova Guiné) essa espécie de boldo é cultivada em todo mundo como planta condimentar, medicinal e ornamental. O boldo-miúdo é uma erva com 0,4-1 m de altura; folhas ovaladas, com margens dentadas, nervuras salientes no dorso e 4-10 cm de comprimento.

As folhas são macias e quebradiças e não tem a mesma intensidade de sabor amargo quanto as outras espécies. O aroma das folhas lembra um pouco a hortelã e podem ser usadas como condimento em saladas e massas.

Dicas para cultivar boldo

Todas essas de boldo são possíveis de se encontrar para cultivo, além de serem de fácil manejo por serem plantas rústicas.

Sol pleno e água

As diferentes espécies de boldo são plantas de sol pleno, ou seja, que precisam de mais de 4 horas de sol direto, ou se forem menos horas, que sejam das horas de sol forte.

Além disso, não são exigentes quanto à rega, o importante é regar sempre que o solo ou substrato estiver completamente seco. Por serem plantas mais resistentes, conseguem se desenvolver em solos pouco ricos em nutrientes, porém, quando bem adubados, irão se desenvolver muito mais tendo um aspecto mais ornamental.

Plantio e poda

O boldo pode ser plantado diretamente no solo ou em vasos. No caso do Boldo de Jardim, opte por vasos com altura mínima de 30 cm, pois assim terão capacidade para se desenvolverem mais.

Faça sempre podas periódicas nos galhos superiores e nas suas pontas, pelo menos 2 vezes ao ano, no final do inverno e no início do outono, para que fiquem com um aspecto mais “cheinho” e preencha mais seu vaso.

Já para o Boldo Míudo, por ter uma característica de planta rasteira, opte por vasos tipo bacias ou jardineira, assim terão um resultado estético muito mais bonito. Se preferir, pode plantá-lo junto de outra planta que tenha exigências parecidas com a do Boldo Míudo, criando belas composições em vasos.

O Boldo Míudo também é indicado para canteiros de horta, pois funciona como uma ótima planta repelente de formigas e animais de estimação como gatos e cachorros. A poda do Boldo Miúdo também é importante, pois assim terá folhas mais vistosas.

Mudas

A forma de fazer mudas para ambos é semelhante. No caso de fazer mudas a partir da planta mãe basta cortar um galho da parte mediana da planta, sem flor, retirar as folhas abaixo do ramo, mais ou menos 3 dedos, tomando cuidado para não machucar as gemas do galho, e cortar as folhas restantes ao meio. Feito isso, afunde o ramo em um vaso ou pote com 1 parte de substrato para muda e 1 parte de areia.

Mantenha a nova muda à sombra e regue sempre que estiver com substrato seco. Assim que sair novas brotações pode transplantar para o local definitivo.

Podem ser feitas mudas também através de sementes colhidas de um pé ou compradas. As sementes devem ser semeadas em local definitivo em épocas não frias ou com geadas, pois, a planta como um todo, não tolera muito ambientes frios e com geadas. 

Colheita

Na hora da colheita, seja para o chá ou para macerar, corte sempre o galho/ramo, não arrancando só as folhas. De preferência dos galhos superiores e suas pontas, assim já estará fazendo uma poda de crescimento para seu boldo.

Chá de boldo

Devido aos seus diversos efeitos positivos no corpo, o chá de boldo é forma mais útil dessa erva. Contudo, é preciso estar atento a quantidade certa de ingestão, visto que o uso excessivo pode causar efeitos colaterais e não deixar que a erva ajuda da maneira correta.

Para preparar esse chá da maneira correta, você deve separar uma colher de chá da erva do boldo para 150 ml de água fervente.

Ademais, após colocar a quantidade de erva separada em uma xícara, despeje a água e tampe para que toda os nutrientes do boldo passem para o chá. Ao final, basta coar o líquido e aproveitar o chá delicioso e super benéfico para a saúde.


Para aqueles que têm dificuldade em manter uma planta, o boldo é um excelente candidato à resistir e ainda por cima, contribui para o benefício de nossa saúde.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.