Frutíferas Plantas

Caju: o falso fruto 100% brasileiro

“O fruto – não fruta – brasileiro”, foi assim que Vinicius de Moraes descreveu em seu “Soneto ao caju”, de 1947, esse produto 100% nacional.

O caju é chamado de pedúnculo ou falso fruto. Sua polpa carnosa de cor alaranjada ou avermelhada, é consumida in natura, na preparação de sucos, cajuína (suco de caju clarificado, como a sidra da macieira), sorvetes, doces cristalizados, compotas, licor, mel, geleias e até cachaça.

Já a castanha, comumente confundida como o “cabo” do caju, é de fato o fruto verdadeiro que gera a amêndoa. Alimento rico em proteína, lipídios, gordura insaturada, fibras e vários nutrientes. É consumida torrada ou com outros alimentos como frutas e iogurtes, além de também poder ser acrescentada em saladas e receitas como bolachas, biscoitos e pães. É exportada para quase todo mundo.

O cajueiro é uma árvore originária do Brasil, nativo da região litorânea. Seu cultivo é muito comum no nordeste brasileiro. Pertence à família Anacardiaceae e ao gênero Anacardium. Esse gênero é constituído por várias espécies encontradas nos biomas da Amazônia, Cerrado e Caatinga.

As principais espécies são: anacardium giganteum (cajuí, caju-da-mata, cajuaçu), anacardium humile (caju-anão, caju-do-cerrado), anacardium occidentale (caju-comum, caju, acaju, caju-de-casa) e anacardium microcarpum (caju-do-campo, cajuaçu).

Em média, a árvore que produz o caju-comum possui entre 2 e 8 metros de altura. Ela se propaga por sementes ou enxertia. A colheita é realizada de agosto a janeiro.

Benefícios do caju

O suco de caju é industrializado e muito apreciado em todo o país. A casca do caju é usada no tratamento de afta e infecções na garganta. A madeira também é aproveitada na construção civil, carpintaria, marcenaria, etc. Suas folhas são eficazes na cicatrização de feridas.

Os benefícios do caju vão muito além do paladar. Além de ser uma fruta vistosa, suculenta, macia, perfumada e com um sabor marcante adstringente, ainda possui diversos nutrientes essenciais. Confira alguns dos principais benefícios do caju para a saúde.

1. Ele fortalece o sistema imunológico

Com cinco vezes mais vitamina C que a laranja, o pseudofruto do caju é muito rico em antioxidantes. Essas substâncias combatem os radicais livres, protegendo as células e evitando o envelhecimento precoce.

2. Ele ajuda a proteger o coração

De acordo com estudos, o consumo de caju tem efeito positivo na redução dos níveis de triglicerídeos, o que ajuda a diminuir a incidência de problemas cardiovasculares e o risco de doenças cardíacas.

3. Ele auxilia nos processos de cicatrização

As substâncias por trás do benefício são o cobre e a vitamina K. Além de acelerarem a coagulação sanguínea, elas atuam junto ao sistema imunológico na recuperação do organismo.

4. Ele deixa a pele e os cabelos mais saudáveis

Também por causa do cobre, o caju auxilia na produção de melanina, mantendo o viço da pele e dos cabelos. Já a vitamina C, rica em antioxidantes, é essencial na prevenção do envelhecimento precoce.

5. Ele tem efeito benéfico no sistema nervoso e reduz a TPM

Sabe aquela vontade inexplicável de comer doce nos dias que precedem a menstruação? É seu corpo pedindo magnésio, mineral associado à liberação adequada de neurotransmissores, incluindo a dopamina. Por ser rico na substância, o caju proporciona a sensação de bem-estar.

6. Ele ajuda a controlar o índice glicêmico

Com boas taxas de fibras solúveis, o consumo do caju possibilita uma absorção mais lenta dos carboidratos o que, por sua vez, evita picos de insulina e ajuda a regular o índice glicêmico. No entanto, por possuir frutose, recomenda-se seu consumo com moderação por diabéticos.

7. Ele é um aliado na prevenção do câncer

O segredo está nos flavonoides, como licopeno e betacaroteno. Tais substâncias têm propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antitumorais que diminuem o chamado estresse oxidativo das células.

8. Ele propicia boas doses de energia

Ricos em aminoácidos de cadeia ramificada conhecidos como BCAA, o caju facilita o processo de utilização da gordura durante os exercícios físicos, garantindo mais mais energia e disposição.

9. Ele pode ajudar na perda de peso

Ao estimular a queima de gordura e controlar o índice glicêmico, o caju facilita o emagrecimento de maneira saudável. Além disso, ele também possui um baixo índice calórico. São cerca de 35 a 40 calorias por unidade de 100 gramas.

Na hora de escolher o caju, o ideal é que ele esteja macio, mas sem manchas escuras em sua casca. Por ter a polpa muito perecível, deve ser consumido rapidamente. Se estiver bem firme, pode ficar guardado na geladeira por dois dias, no máximo.

As vantagens da castanha-de-caju para a saúde

A castanha de caju é uma das oleaginosas preferidas de boa parte das pessoas graça à sua crocância e ao seu sabor levemente adocicado. Ela também é aliada da boa saúde do organismo. Confira abaixo alguns dos benefícios das castanhas de caju:

  • Auxiliar no tratamento de diabetes: com poucos carboidratos, a castanha possui baixo índice glicêmico e conta, ainda, com ácido oleico, responsável pela redução nos níveis de triglicerídeos.
  • Proteger as artérias: livres de colesterol, as castanhas de caju possuem uma substância chamada de arginina, que evita o estreitamento das artérias. Além disso, as castanhas também têm vitamina E, que previne o acúmulo de placas arteriais.
  • Fortalecer os ossos : assim como o pseudofruto, castanhas de caju são ricas em cobre, cuja deficiência está associada à baixa densidade óssea. Já o magnésio presente nelas é importante no processo de absorção de cálcio.
  • Ajudar no tratamento de alguns tipos de câncer: estudos mostram que graças às suas vitaminas antioxidantes, as castanhas de caju ajudam a prevenir a mutação de células e danos ao DNA. Outros estudos também sugerem que o ácido presente nelas seria capaz de parar o ciclo de células cancerígenas.
  • Estimular a memória e a concentração: por possuir vitamina E, além de minerais essenciais, como o ferro, as castanhas melhoram a oxigenação celular, aumentando a concentração e ajudando a prevenir a perda de memória em função da idade.
  • Proteger o sistema digestivo: os antioxidantes presentes na castanha de caju atuam no estômago protegendo-o inclusive de danos causados pelo consumo excessivo de álcool.

 O ideal é consumir de 3 a 5 unidades de castanha ao dia. Preferencialmente sem sal, em snacks e saladas.

Dicas de cultivo

De manejo fácil e pouco exigente em cuidados especiais, o cajueiro pode ser cultivado em pequenas áreas, como chácaras, sítios e quintais de residências, principalmente em regiões de clima quente e seco, em que se desenvolve melhor.

As mudas enxertadas são a melhor opção para plantar o cajueiro, pois as sementes geram plantas com crescimento e produção desuniformes.

  • Clima: Como é uma planta de clima tropical, o cajueiro se dá bem em regiões onde a temperatura média é de 27 graus célsius. Se no local há incidência de ventos frequentes, recomenda-se o uso de quebra-ventos para proteger as árvores.
  • Solo: Embora desenvolva-se em qualquer tipo de solo, o leve é o mais adequado para o cultivo de cajueiro. A planta também tolera solos mais argilosos, mas nesse caso é importante que o terreno tenha boa drenagem. Para controlar o ataque de ervas daninhas e manter a umidade do solo, aplique cobertura morta no local do plantio.
  • Transplante: É essencial que seja realizado em solo que tenha umidade para a muda se aclimatar, mas não pode ser muito frio, pois o cajueiro é muito sensível a temperaturas baixas. Retire a muda do recipiente (saco ou tubete plástico) onde ela foi formada para o local do plantio definitivo. Esse processo deve ser feito com cuidado, a fim de não danificar o sistema radicular da planta. Acomode a muda no centro da cova e, para direcionar o crescimento do cajueiro, faça o tutoramento. Amarre a muda a uma estaca de um metro de altura enterrada junto ao caule.
  • Espaçamento: Recomenda-se distância mínima de sete metros entre as covas, cujas medidas devem ser de 40 x 40 x 40 centímetros. No plantio de cajueiro comum, o espaçamento indicado é de dez metros.
  • Cuidados: Faça poda de formação no cajueiro. Retire todas as brotações laterais no caule até 50 centímetros do solo. Evite a concorrência com ervas daninhas limpando a área de projeção da copa. Se o clima do plantio for seco, a cada semana ou de 15 em 15 dias, no primeiro ano, irrigue com dez a 15 litros de água por planta.
  • Produção: O caju está pronto para ser colhido quando a parte carnosa apresenta textura firme e coloração intensa. Dê preferência aos períodos do dia com temperaturas amenas para retirar os frutos das árvores. Para não danificar o caju, faça uma leve torção para que o pedúnculo se solte do ramo facilmente. Se houver resistência para soltar, o fruto ainda não está maduro o suficiente para consumo.
  • Colheita: um ano após o plantio.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.