Flores Ornamentais

Cana índica: como cultivar a bananerinha de jardim

A cana índica é muito utilizada no paisagismo pelas suas flores vistosas e por se adaptarem ao cultivo em locais muito úmidos a pleno sol. Suas folhas se assemelham às folhas da bananeira e suas flores aparecem quase o ano todo, e existe uma vasta gama de cores.

Também conhecida como beri, birí, cana e bananeirinha de jardim — é um arbusto com ciclo de vida perene e pertencente à família das Cannaceae.

Pode crescer até 1,8 metro de altura. Apesar de perene esta planta perde seu vigor inicial, sendo recomendado a renovação a cada dois anos.

O gênero Canna é composto por um grupo grande de plantas herbáceas híbridas, rizomatosas, inicialmente obtidas por hibridações, a partir do cruzamento entre as espécies Canna indica e Canna flaccida, mas posteriormente ocorreram hibridizações com outras espécies, por isso são chamadas genericamente pelo nome Canna X generalis.

Rainha de lugares ensolarados, quentes e muito úmidos, a cana índica tem as folhas finas e largas, que se enrolam quando o ar está muito seco.

Há cultivares de flores amarelas, alaranjadas, rosadas, avermelhadas, carmins e também ostentando uma mistura de duas ou mais cores.

As flores, que surgem praticamente o ano todo, são muito duráveis apesar da imagem de fragilidade que suas pétalas demonstram ter. Reunidas em grupos da mesma cor, as variedades dessa planta fazem maciços impressionantes, com até 1,5 m de altura, gerando a cada ano muitas brotações inferiores, que podem ser separadas depois de uns meses para formar novas mudas.

cana índica – cultivar de flor vermelha

Como cultivar a cana índica

A bananeirinha de jardim deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra. Para ter um crescimento vigoroso e com formação de inúmeros rizomas subterrâneos, o solo deve ser rico em matéria orgânica. Pode-se misturar também na terra do canteiro esterco de animal bem curtido para a fertilização.

Prefere o solo úmido e é resistente a encharcamentos. Deve ser regada frequentemente durante a fase de vegetação. Não manter os rizomas fora da terra por longo tempo para evitar a desidratação.

Aprecia o clima quente por ser uma planta tipicamente tropical, e não tolera temperaturas muito baixas e nem geadas. Não necessita de podas, mas devem ser feitas limpezas de folhas e flores secas. Multiplica-se por sementes e por divisão de touceiras ou rizomas.

cana índica – cultivar de flor amarela

Adubação da cana índica

O adubo para plantio deve ser aplicado diretamente no solo, independente da espécie. É recomendado usar 200 gramas para cada metro quadrado. Se for aplicar o adubo misturado na terra para um vaso ou jardineira, a dose é de 5 gramas para cada um litro de terra.

Se a aplicação é na cova de plantio recomenda-se a dosagem conforme o tamanho da cova: 30x30x30 centímetros, seria 150 gramas; 40x40x40 centímetros, 300 gramas; 60x60x60 centímetros, 1 Kg; e cova de 80x80x80 centímetros, 2,5 Kg.

Espalhar sobre a terra e regar em seguida, ou misturar o produto junto da terra/solo de plantio, revolvendo-a para que o adubo se misture bem. 

Na adubação para flores, quando plantadas em vasos, jardineiras e forrações a recomendação é diluir 10 gramas em 1 litro de água e regar.

E para flores em canteiros no solo, 50 gramas (1 copo plástico de café) para cada metro quadrado. Para vasos, jardineiras e forrações a frequência é semanal. E para os canteiros de flores a aplicação é a cada 15 dias.

Produtos que podem te interessar

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.