Flores Plantas

Crisântemo: como cuidar dessa flor típica do outono

O Crisântemo é uma das flores mais populares no outono. Carregadas de significado cultural e um forte simbolismo, estas plantas mostram toda a sua exuberância durante esta estação do ano.

Originalmente os crisântemos são de cor amarela, e por isso o nome ‘Chrysanthemum‘ vem de duas palavras gregas antigas: chrysos (ouro) e anthemon (flor), que significa “flor de ouro”.

De origem asiática, o gênero Chrysanthemum pertence à família Asteraceae, a mesma do girassol, margarida e anastácia. Assim como suas primas, as flores do crisântemo são muito usadas em arranjos. 

O crisântemo destaca-se principalmente, pelas suas flores aromáticas e os seus caules eretos e frondosos. As folhas são simples, alternas, de cor verde-acinzentado, com um limbo lobulado, medindo aproximadamente entre os 4 e o 9 centímetros.

É uma espécie resistente e durável que pode ser utilizada como planta de corte, mas também plantada em vaso, já que se adapta a climas diversos e tem um baixo custo.

Tipos de Crisântemos

O Crisântemo é uma planta que possui mais de 100 espécies, com mais de 800 variedades disponíveis no mundo todo. Entre as variedades cultivadas estão os crisântemo-anões, com aproximadamente 30 centímetros de altura. Também há plantas com cerca de 1 metro de altura, cujos botões florais são retirados para que se desenvolva uma única grande inflorescência no ápice da planta.

As inflorescências variam bastante na forma e nas cores, e podem ser classificadas como simples, semidobradas, bola, pompom, anêmona e spider. Quanto a cor, podem ser amarelas, brancas, cor-de-rosa, vermelhas e também em tons laranja, roxo e azul.

Mas o mais interessante é o momento da floração do crisântemo. As primeiras flores aparecem com a chegada do outono. Você pode notar que o crisântemo é uma flor de estilo campestre e que pode ser bastante atrativa na decoração paisagística.

As flores do crisântemo são comestíveis, sendo muito usadas para fazer chá, principalmente em países asiáticos. A ingestão desta flor só pode ser feita quando o cultivo tem essa finalidade.

Os plantios para fins ornamentais são inadequados para consumo, pois podem conter pesticidas e outras substâncias tóxicas.

O mini Crisântemo

Além do crisântemo dobrado, com pétalas grandes e muito chamativas, há ainda o mini crisântemo, que pode ser apresentado como um tipo simples e mais delicado. O mini crisântemo é, por exemplo, a espécie mais encontrada em floriculturas, sendo comum vê-la em vasos e até mesmo em arranjos decorados. Ainda assim, um jardim inteiro pode ser feito com mini crisântemos, se for do seu interesse.

Significado do Crisântemo

Cultivado há mais de 2500 anos na China, o crisântemo foi levado para o Japão pelos budistas. Ele simboliza a simplicidade e a perfeição. E para os budistas traz felicidade e alegria para um lar.

Para quem quer garantir longevidade e saúde, uma lenda japonesa ensina que basta colocar uma pétala de crisântemo no fundo da taça de vinho. Para os orientais, essa planta é o símbolo do sol. O trono do imperador do Japão é conhecido como ‘o trono do crisântemo’.

Sua imagem pode estar relacionada com tristeza ou felicidade, dependendo da cultura na qual ele esteja presente.

Na Europa, por exemplo, os crisântemos são muito utilizados em funerais. Já no México, eles representam uma belíssima declaração de amor. Mexicanos são frequentemente presenteados com buquês de crisântemos por pessoas queridas, como amigos e amantes.

No Brasil, a planta significa ‘beleza na vida e na morte’, pois suas flores são utilizadas para representar a vida e a morte, o sol e a chuva. Por causa desse significado, essas flores são frequentemente usadas no Dia de Finados e em feriados santos.

As cores dos crisântemos também podem alterar o seu significado:

  • Crisântemo amarelo: amor frágil e desdenhado, fortuna;
  • Crisântemo branco: sinceridade e verdade;
  • Crisântemo vermelho: declaração de amor, paixão e amor.

Como plantar crisântemos?

Como se trata de uma bela planta que conta com uso ornamental, muitas pessoas desejam ter um crisântemo em casa mas não sabem a forma correta de cuidar da planta quanto a preferências de substrato, em relação à luminosidade e/ou outros fatores. Veja abaixo todos os cuidados essenciais com o crisântemo:

Solo

O melhor solo para que o Crisântemo consiga se desenvolver de forma correta é o arenoso e o ideal é que este tenha um pH de 6 a 7, pois dessa forma a planta tende a crescer muito mais viçosa. Outro fator importante é que este solo deve ser fértil.

Portanto, uma exigência da planta que outras podem não ter da mesma forma é a necessidade de uma adubação correta. Esse processo garante que o solo se torne mais fértil, saudável e proporcione para a planta os nutrientes necessários para o seu crescimento. Sem isso, o crisântemo pode nem mesmo nascer.

Luz

A luminosidade e luz solar para a maioria das plantas é uma necessidade básica para o seu desenvolvimento, pois através disso elas se alimentam e se desenvolvem muito melhor. Entretanto, algumas plantas não suportam uma luz solar com incidência direta – esse é o caso do crisântemo.

Para o seu desenvolvimento, a planta precisa de luz solar, mas não suporta que esta seja direta nas suas folhas e flores. Caso você deixe a planta em um local que tem uma forte incidência de raios solares, ela pode acabar morrendo pelo excesso. Assim, o indicado é que ela seja colocada em um local com luz indireta.

Regas

O desenvolvimento do crisântemo depende de alguns pontos essenciais e um deles é a quantidade de regas que são feitas. Por mais que seja uma planta que depende de fato de água para seu crescimento, o excesso não é indicado porque pode acabar matando a planta.

É preferível que a rega seja feita todos os dias pela manhã e que se tenha cuidado com o volume de água que é colocado no vaso do crisântemo, de acordo com a quantidade de substrato e espaço para não alagar a planta, dificultando a absorção. É indicado que a rega seja feita de 2 a 3 vezes na semana.

Poda

Após a floração, as plantas podem acabar perdendo a força e o viço, pois esse processo exige muito das suas estruturas. Para que o crisântemo continue se desenvolvendo da melhor forma, então, é indicado que seja feita uma poda nesses períodos, de forma que ele tenha força para florescer.

Assim, após a planta ter passado pelo seu período de maior floração, é preciso que seja feita a poda dos seus ramos e folhas para dar mais força a ela. Para isso, corte alguns ramos deixando cerca de 4 centímetros apenas, pois ele vai se desenvolver novamente com muito mais força.

Fertilização

O Crisântemo é uma planta que exige um solo bem cuidado e não consegue se desenvolver e crescer em locais que não sejam totalmente favoráveis. Uma das maiores exigências dessa flor é que o solo seja fértil e cheio de nutrientes que favoreçam a sua floração e a sua saúde.

Portanto, é preciso que a adubação seja feita de forma constante para assegurar que o solo estará entregando todos os nutrientes necessário para o crescimento do crisântemo. Para garantir que isso esteja sendo feito da forma correta, adube a terra dos vasos pelo menos uma vez por mês.

Como fazer mudas de Crisântemo?

Por sementes

Podem ser semeadas no local definitivo ou em sementeiras, transplantando as mudas com cuidado quando estas têm de 4 ou 6 folhas verdadeiras.

As sementes de crisântemo são pequenas e devem ser semeadas superficialmente, embora também seja possível cobrir com uma leve camada de terra peneirada, areia ou serragem fina. A germinação das sementes normalmente demora entre uma e três semanas.

Por estaquia

Você também pode fazer mudas de crisântemos plantando ramos terminais cortados com pelo menos 4cm de comprimento, utilizando plantas com dois anos ou mais.

O espaçamento recomendado entre plantas para o plantio em solo é de 30 a 90 cm, dependendo do tamanho do cultivar.

Época de floração do Crisântemo

Crisântemos são plantas de dias curtos e florescem quando os dias começam a diminuir e as noites aumentam em duração. Portanto, florescem no outono ou no inverno, dependendo da região.

Em regiões de baixa latitude, não floresce naturalmente.

As plantas podem ser induzidas a florir encurtando artificialmente o dia, por exemplo, cobrindo as plantas com um plástico opaco escuro algumas horas antes do anoitecer e descobrindo algumas horas depois do nascer do sol, deixando a duração da noite em 12 a 15 horas.

Pragas e doenças

A prevenção é a melhor forma de evitar pragas e doenças. No entanto, quando as medidas cautelares não são suficientes, a solução é tratar as plantas e erradicar as pragas, recorrendo a métodos naturais ou a produtos químicos. Mas primeiro, há que identificar o mal que afeta a planta. No que diz respeito aos crisântemos podemos evidenciar os seguintes problemas:

1- Folhas enrugadas? Controle os pulgões

Estes pequenos insetos verdes ou negros que se desenvolvem em ambientes secos e quentes, chupam a seiva da planta, causando deformações e debilitando-a.

Solução: Borrife com uma solução de água com detergente. Em caso de ataque grave, aplique inseticida.

2- Caracóis? Coloque armadilhas

Depois de um dia chuvoso ou de rega abundante, as lesmas e caracóis começam a mordiscar ramos , folhas e até as flores dos crisântemos. Atacam sobretudo exemplares recém-plantados.

Solução: Enterre pratos cheios de cerveja como forma de os atrair ou utilize helicidas. Também pode capturar lesmas e caracóis com armadilhas de alface fervida, barras de serradura ou gravilha.

3- Crescimento escasso? Areje o solo

Se as plantas não crescem muito,  a floração é pobre e não existem outros sintomas aparentes, a causa pode estar debaixo da terra: as lagartas do solo que se dedicam  a morder as raízes dos crisântemos.

Solução: Areje o terreno para  que as lagartas fiquem a descoberto  e possa recolhê-las ou eliminá-las com inseticida para solo. Também pode enterrar recipientes com água e óleo onde acabam por cair e se afogar.

4- Manchas brancas? Borrife com fungicida

As manchas irregulares e brancas denunciam a presença de míldio, doença que surge em ambientes temperados e úmidos.

Solução: Elimine as partes afetadas e pulverize com fungicida, repetindo o tratamento em cada duas ou três semanas. A calda bordalesa (sulfato de cobre em pó diluído em água e cal) também pode ajudar de forma preventiva e curativa contra este fungo.

5- Falta de floração? São trips

Estes pequenos insetos, brancos ou negros, ocultam-se nos botões florais, impedindo o correto desenvolvimento. A floração, se ocorrer, traduz-se em pétalas manchadas ou deformadas. Os trips são típicos em estufas e locais secos e quentes.

Solução: Elimine as flores afetadas para que os trips não passem para as saudáveis e aplique inseticida, repetindo o tratamento em cada 15 dias. Mantenha o terreno úmido e coloque armadilhas adesivas.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.