Suculentas

Graptoveria Amethorum: como cuidar dessa linda suculenta híbrida

A Graptoveria Amethorum é uma linda suculenta híbrida rara, que surgiu do improvável cruzamento de espécies bem distintas, em forma e cor, a Graptopetalum amethystinum e a  Echeveria purpusorum.

Essa suculenta em formato de roseta possui folhas bem gordinhas e arredondadas, característico da Graptopetalum amethystinum e sua cor prevalece um tom de verde claro que puxa para um efeito brilhante prateado.

Quando exposta ao sol, traz manchas avermelhadas embaixo das folhas, característica adquirida da Echeveria purpusorum, e um toque de rosa na superfície da folha.

Graptopetalum-amethystinum e Echeveria-purpusorum

É uma suculenta de pequeno porte e sua roseta pode chegar a medir até 8cm de largura aproximadamente.

Pertencem a família Crassulaceae e são do gênero x Graptoveria, que são plantas originadas do cruzamento entre uma Graptopetalum e uma Echeveria.

Espécie produzida pelo homem, por isso chamamos de híbrida, não ocorre na natureza. As polinizações das flores entre essas duas espécies citadas acima originaram a Graptoveria Amethorum.

As suas flores são típicas das suculentas echeverias. Elas aparecem ao longo das suas compridas hastes florais e possuem uma coloração rosada.

Graptoveria Amethorum – Dicas de Cultivo

Os cuidados são típicos para suculentas no geral, não existe muito segredo. Só precisamos nos atentar aos pequenos detalhes que toda suculenta precisa. O principal e que se aplica para todas é o substrato bem leve e drenável.

Luminosidade

Graptoveria amethorum irá se desenvolver muito bem em cultivo a sol pleno, ou seja um lugar que ela receba luz solar por pelo menos 6hrs a 7hrs por dia. É uma planta que ama o sol e pode ser cultivada sem medo nesse modelo. Mas também irá crescer em um lugar que receba sol indireto, com algum tipo de proteção, contanto que receba muita claridade.

Lembre-se que ao receber uma planta em casa, principalmente se ela passou por uma viagem dentro de uma caixa, ela precisará ser adaptada aos poucos ao novo ambiente para não sofrer com a exposição brusca. Coloque-a em seu novo espaço e deixe-a exposta ao sol pelas primeiras horas da manhã, até umas 10hrs no primeiro dia, e vá aumentando duas horas por dia e assim sucessivamente na primeira semana. Dessa forma, ela irá aos poucos se adaptando ao novo ambiente e aos raios solares. Com isso, evitamos queimaduras na planta.

Rega

Essa é uma suculenta que está mais propensa a apodrecer se for regada exageradamente pois como é característico de espécies que possuem folhas bem gordinhas, elas possuem uma reserva de água enorme acumulada em suas folhas, assim como a Graptopetalum amethystinum e a Pachyphytum oviferum, conhecida popurlamente como pedra da lua. Portanto, para essas espécies as regas são mais espaçadas.

Quando saber a hora de regar minha Graptoveria amethorum? Alguns sinais precisam ser observados. O primeiro e mais conhecido é verificar se o substrato está completamente seco, o vaso estará mais leve e para quem está iniciando vale sempre o truque do palito. Enfie o palito no substrato pela lateral para evitar danificar suas raízes e retire. Se o palito sair limpo o substrato está seco, se ele sair bem sujo, estará molhado.
O próximo passo é verificar as folhas, se elas ainda estiverem bem gordinhas, espere mais um pouco para regar. Se já não estiverem tão vigorosas, com um aspecto mais murcho e com a roseta mais fechada, estará na hora de regá-las.

Sendo assim, a regra básica é melhor pecar pela falta de água do que pelo excesso, principalmente para essas espécies. Dica de ouro!

Propagação

A propagação da Graptoveria amethorum pode ser feita de diversas formas. A mais conhecida e fácil é através das suas folhas, destaque uma folha da planta com bastante cuidado para que ela não saia danificada e depois é só deixá-la sobre o substrato e aguardar até que as primeiras raízes saiam para começas a borrifar o substrato, a partir daí é importante borrifar todos os dias garantindo que o substrato esteja sempre úmido.

A outra forma de multiplicação é feita por mudas laterais, mas isso pode levar um bom tempo até que sua planta comece a produzir mudinhas. E por fim, através de sementes, que podem ser produzidas através da polinização das flores ou compradas pela internet.

Como é uma planta de crescimento muito lento, você terá que ter muita paciência nesse processo.

Produtos que podem te interessar

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.