Ornamentais Plantas

Guaimbê: um arbusto tropical com folhas esculturais

Muito confundido com a costela de adão e o xanadu, o guaimbê é uma planta nativa brasileira que possui folhas esculturais com aspecto recortado.

O Guaimbê, ou Thaumatophyllum bipinnatifidum, pertence à família Araceae, e é uma planta muito usada na decoração. Suas folhas verdes, marcadas pelos rasgos, encantam a qualquer um e deixam o ambiente belíssimo. Muito resistentes, o vegetal chama a atenção pela exuberância e pode chegar a cerca de 6 metros de altura. Por causa do seu fruto, também é conhecida como banana-de-macaco.

As flores são pequenas e ficam localizadas na espádice, as flores masculinas estão concentradas na ponta, enquanto as fêmeas estão localizadas na base. Entre essas duas zonas estão flores masculinas estéreis.

Frequentemente utilizado na composição de jardins, o guaimbê pode ser cultivado a partir de mudas e se tornar uma planta trepadeira, enfeitando muros ou troncos de árvores.

Também é possível cultivá-lo em vasos, desde que sejam amplos para que o vegetal se desenvolva de maneira adequada.

Quando cultivado em locais adequados, o vegetal apresenta crescimento rápido e exige pouca manutenção.

Como cuidar de Guaimbê

Apesar de muito resistente, o Guaimbê precisa de diversos cuidados para se manter saudável, com suas folhas exuberantes. Além de pontos importantes como a água, o sol e o cultivo, é importante ficar atento ao local que ela vai ficar.

Cultivo: o solo ou a terra no vaso deve estar muito bem preparados para recebê-la com matéria orgânica. O ideal é que a terra esteja mais “solta” pelas características das raízes. Na natureza é comum encontrar a banana-de-macaco crescendo apoiada em árvores e até mesmo em pedras, por isso é bom que esteja plantada em locais onde há drenagem de água;

Muda: o plantio pode ser feito com sementes, mas também por meio de plantas mais jovens que se desenvolvem ao lado das mais adultas. Elas podem ser retiradas do local onde estão crescendo e plantadas em outros locais;

Rega: o Guaimbê adora uma água, principalmente quando está em solos drenados. É importante que o local também não esteja encharcado demais. Além de molhar o solo, é interessante que se lave as folhas daquelas que ficam protegidas de chuva para retirar a poeira. Estando limpas, elas fazem ainda mais fotossíntese;

Iluminação: a planta se adapta tanto a jardins externos quanto a ambientes de pouca luminosidade. O importante é sempre verificar a questão do solo e o quão úmido ele está. Se o Guaimbê estiver no sol e começar a amarelar, é hora de dar uma olhada no solo e colocar mais matéria orgânica;

Adubação: pode ser realizada com fertilizantes orgânicos, no início da primavera, ou com adubo mineral NPK 10-10-10, de preferência, no verão.

Vasos: pelo fato de precisarem de espaço para crescerem, é interessante que o vaso do Guaimbê não seja muito pequeno. Ao ver que a planta está muito grande, talvez seja hora de mudá-la para um local maior;

Toxidade: é uma planta moderadamente tóxica (principalmente as folhas) cujo princípio ativo é o oxalato de cálcio. Então procure colocar a planta em locais que não terão contato direto com crianças, nem com animais de estimação;

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.