Flores Plantas

Heliconia psittacorum: dicas de como cultivar Helicônia papagaio

A Heliconia psittacorum é uma espécie nativa do Brasil, mas não endêmica, isto é, pode ser encontrada naturalmente em outros países tropicais da América do Sul. É uma planta de área de floresta quente e úmida, comum na Amazônia e nas matas de galeria do Cerrado.

O epíteto psittacorum é uma referência à família dos papagaios e araras (Psittacidae), devido às cores e formatos das inflorescências, que se assemelham ao colorido das plumas desses pássaros. Daí também resulta o nome popular da espécie: helicônia -papagaio. 

Apresenta-se como uma erva, com rizoma, ou seja, caules subterrâneos de onde partem inúmeros pseudocaules, caracterizando seu crescimento em touceiras. Suas folhas são coriáceas, verdes e lisas, ovais lanceoladas, sustentadas por ramos eretos com cerca de 1,5 metro de altura.

Suas flores surgem nas axilas das brácteas, num tipo de inflorescência denominada cíncino. lembram a Strelitzia reginae – a planta ave-do-paraíso, com suas cores vibrantes que variam principalmente entre amarelo, laranja e vermelho, dando ao conjunto da inflorescência um efeito extremamente ornamental, fazendo da Heliconia psittacorum uma espécie muito requisitada na composição de jardins e projetos paisagísticos.

Em seu habitat nativo, as helicônias são polinizadas quase exclusivamente por beija-flores, por isso costuma atrair essas aves de beleza e graciosidade singulares aos locais onde é cultivada. A helicônia possui inflorescências com alta durabilidade e boa tolerância ao calor, características que justificam sua comercialização e utilização como flor de corte em todo o mundo.

O nome do gênero, Heliconia possui origem grega e foi dado por Linnaeus, em 1771, em homenagem ao monte Helicon, onde, dizem as lendas, era o lar de musas e deusas que inspiravam a cultura e as artes.

Apesar das helicônias constituirem, atualmente, a família Heliconiaceae como gênero único, elas já pertenceram à família Musaceae, por causa de sua semelhança com algumas plantas do gênero Musa, que inclui as bananeiras.

A ligação taxonômica entre os gêneros Heliconia e Musa parece indicar claramente uma ligação etimológica, baseada na mitologia greco-romana. No entanto, alguns autores contestam essa versão, citando que o gênero Musa é uma homenagem de Linnaeus a Antonius Musa, botânico grego e médico de Augusto, o primeiro Imperador Romano, Caio Júlio César. Outras fontes citam que Musa vem de mauz, o nome dado à banana no idioma árabe. 

Dicas de cuidados com a Heliconia Psittacorum

Solo: Para que sua helicônia cresça de forma adequada é necessário que haja um bom preparo do solo. Para isto, o uso de matéria orgânica, como o esterco animal, e o adubo à base de musgo de turfa com madeira farão o solo ideal. O melhor é que o solo seja úmido, mas com um efetivo sistema de drenagem a fim de evitar a podridão de suas raízes

Luminosidade: as helicônias são plantas tropicais que precisam especialmente de muita luz. Em regiões mais frias ou com dias mais curtos, é necessário que elas sejam cultivadas sobre a luz direta do sol, caso contrário o uso de luzes artificiais é extremamente recomendado. Em regiões mais quentes, você pode optar por cultivá-las à meia sombra, permitindo que o solo e a planta retenham mais umidade. A iluminação é um dos principais fatores que fará sua planta prosperar e crescer adequadamente.

Regas: Elas adoram água, não é por acaso que vivem em matas aonde chove muito. Contudo, cuidado para não exagerar! O solo deve ser levemente úmido, não pode ser encharcado, pois os rizomas vão apodrecer.

Adubação: No inicio da primavera, é necessário fazer a adubação com esterco de boi ou composto orgânico, enriquecido com farinha de osso. E na primavera-verão, usar adubo mineral NPK 4-14-8.

Temperatura e umidade: as helicônias são plantas que amam o calor, mas que suportam pequenos períodos de geada, embora este não seja o ideal para o seu desenvolvimento. O melhor mesmo é que essas plantas sejam cultivadas com temperaturas acima dos 21ºC, suportando até mesmo temperaturas próximas aos 10ºC – abaixo disso é altamente recomendado que você proteja bem sua planta.
Em invernos mais secos, as folhas podem murchar e até mesmo secar devido a pouca água que chega até elas, nesses casos o uso de um nebulizador poderá ajudá-la a manter suas folhas devidamente hidratadas. Durante os períodos de calor extremo ou seca, deve-se atentar bem ao ressecamento do solo para não deixar faltar água para a sua planta.

Poda e manutenção: é uma planta rústica que não necessita de poda, mas pode se espalhar facilmente e talvez precise ser controlada. Prefira cultivar em um canteiro com delimitação.

Propagação: Divida os rizomas na primavera e em vaso separadamente. Não os enterre – coloque rizomas logo abaixo do solo. Qualquer crescimento no rizoma deve permanecer acima do nível do solo. Mantenha o meio de envasamento levemente úmido; o excesso de água fará com que os rizomas apodreçam.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.