Conhecimento Curiosidades

História e significado da árvore de Natal

Quando a maioria das pessoas pensa em uma árvore de Natal, a primeira imagem que vem à mente é provavelmente a de um pinheiro. Essas árvores são únicas e distintas, e também carregam consigo muitos significados culturais, históricos e espirituais.

O pinheiro é uma árvore perene, o que significa que mantém as folhas e a cor durante todo o ano, enquanto outras árvores perdem as folhas no inverno.

De acordo com a história , muito antes do cristianismo, as árvores que permaneciam verdes ao longo do ano tinham um significado especial para as pessoas durante o inverno.

Dizem que os povos antigos penduravam ramos perenes nas janelas, pois se acreditava em vários países que isso manteria longe todas as coisas más, bem como as doenças.

Muitas árvores, incluindo o pinheiro, têm um significado simbólico associado a elas. Isso pode ter ocorrido por meio de influências culturais, espirituais, históricas ou geográficas. Isso dá à árvore mais significado e é algo que pode ser passado para a próxima geração.

Dezembro de 1848: A árvore de Natal real é admirada pela Rainha Vitória, Príncipe Albert e seus filhos / GETTY IMAGES

Origens pagãs da Árvore de Natal

Em culturas antigas, o solstício de inverno era anunciado como o início de dias mais brilhantes, uma indicação de que o Deus Sol estava recuperando as forças. Como as árvores perenes mantêm sua cor durante todas as quatro estações, elas foram exibidas e adotadas em coordenação com o solstício como uma lembrança dos meses mais quentes que viriam.

No Egito, uma mentalidade semelhante foi adotada. O Deus Sol, Rá, normalmente ficava fraco à medida que as condições ficavam mais frias e mais escuras. O solstício era visto como o ponto de inflexão nas estações, então os egípcios decoravam suas casas com folhas e ramos de palmeira. 

Os primeiros romanos marcaram a ocasião com um banquete. Eles o chamaram de Saturnália, celebrando Saturno, o deus da agricultura. Para os romanos, o solstício significava que logo suas fazendas e pomares floresceriam, exuberantes com frutas e vegetais. Em homenagem ao feriado, eles decoraram suas casas com galhos verdes. 

No norte da Europa, os druidas, os sacerdotes dos antigos celtas, também decoravam seus templos com galhos verdes, como um símbolo de vida longa. Da mesma forma, os vikings da Escandinávia pensavam que os ramos sempre verdes eram uma planta especial de seu deus do sol, Balder.  

Uma tradição alemã

 A tradição da árvore de Natal como a conhecemos hoje começou na Alemanha, no século XVI. Alguns cristãos durante esse tempo trouxeram pinheiros para suas casas e os decoraram em comemoração ao Natal, provavelmente pela alusão à Santíssima Trindade, devido à sua forma triangular. Dizem também que o Natal é simbolizado pela decoração de pinheiros, porque o pinheiro preserva o verde dos seus ramos mesmo no tempo mais frio e até com neve, e como tal representa a promessa da vida que se perpetua.

Outros trouxeram pilhas de madeira que decoraram com ramos de folha perene e velas. É amplamente aceito que Martinho Lutero, um reformador protestante conhecido na época, foi o primeiro a adicionar velas acesas a uma árvore. Ao andar pela floresta, Lutero ficou impressionado com os pinheiros cobertos de neve, iluminados pelas estrelas do céu. Imagem que reproduziu em sua residência ao adornar uma árvore com luzes no dia de Natal. Além das estrelas, algodão e outros ornamentos, Lutero usou velas acesas para mostrar aos familiares a cena que havia visto na floresta.

Martinho Lutero e sua família na véspera de Natal na Alemanha a partir de uma impressão do século 19 publicada em Leipzig, Alemanha / GETTY IMAGES

O surgimento da árvore de natal na América

A maioria dos americanos no século 19 achava as árvores de Natal estranhas. O primeiro registro de uma árvore de Natal em exibição foi na década de 1830. Essas são árvores usadas pelos colonizadores alemães que fizeram da Pensilvânia seu lar, mas as casas alemãs já tinham essa tradição antes.

Afinal, os assentamentos alemães nesta região tinham árvores de Natal já no final da década de 1740. Mas a maioria dos americanos até a década de 1840 considerava as árvores de Natal pagãs. É por isso que a maioria deles não as aceitavam como símbolos do Natal.

A maior parte do país ainda estava cética. Até que a Rainha Vitória da Inglaterra e o Príncipe Albert (que eram de origem alemã) foram mostrados em um jornal popular em 1848 em pé ao redor de uma árvore de Natal com sua família que a tradição então se tornou mais amplamente aceita.

Dezembro de 1848: A árvore de Natal real é admirada pela Rainha Vitória, Príncipe Albert e seus filhos /GETTY IMAGES

O costume de decorar árvores de Natal

Além da estética da vela já estabelecida na Europa, as decorações como ornamentos (muitas vezes importadas da Alemanha) se tornaram mais populares no final de 1800, e as decorações caseiras como biscoitos e guirlandas (pense: pipoca, frutas vermelhas, nozes e muito mais) se tornaram itens básicos da decoração.

À medida que os desenvolvimentos tecnológicos e industriais progrediram ao longo do século 20, as decorações mais  caseiras deram lugar a lâmpadas elétricas reluzentes e materiais sintéticos, como ouropel. Os populares enfeites Shiny Brite, inspirados em enfeites de vidro importados da Alemanha, marcaram o início da indústria de enfeites dos Estados Unidos no início a meados do século XX.

Árvore de Natal decorada à moda antiga com guirlandas de pipoca e velas /GETTY IMAGES

O significado da árvore de Natal

Uma árvore frondosa e cheia de enfeites simboliza a vida, as bolas coloridas simbolizam os “frutos” da vida.  Já antes de Cristo praticamente todas as culturas e religiões pagãs usavam enfeites em árvores para celebrarem a fertilidade da natureza. Na cultura cristã, as árvores foram ficando cada vez mais decoradas, as estrelas simbolizando a Estrela de Belém, as velas simbolizando a luz de Cristo e as rosas em homenagem à Virgem Maria.


Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.