Suculentas

Lithops: como cultivar a famosa suculenta pedra

Lithops é um gênero de plantas nativas da Namíbia e África do Sul e o nome é uma junção de duas palavras gregas: Litho (“pedra) e ops (“face”). 

Estima-se que existam mais de 300 espécies de Lithops, sendo muitas delas endêmicas (só ocorrem em determinados habitats). Há espécies de Lithops adaptadas a condições um tanto inóspitas, como regiões rochosas ou arenosas, e algumas são muito raras. 

Este gênero de plantas apresenta adaptações morfológicas e fisiológicas bastante peculiares, para tolerar os ambientes em que crescem. Elas foram selecionadas para sobreviver em ambientes muito secos, e por terem essa aparência singular e seu formato ser muito similar as pedras, elas ficaram popularmente conhecidas como pedras vivas. Além de possuírem colorações muito distintas e coloridas variando de espécie para espécie.

Seu corpo possui forma cônica e oblonga, constituída por apenas duas folhas que ficam unidas e que possuem textura suculenta. A superfície da Lithops é bem arredondada e plana e pode apresentar várias colorações.

Podemos observar ainda a presença de nervuras, manchas, pequenas verrugas, estrias e janelas transparentes que servem como entrada de luz na parte interior das folhas facilitando a fotossíntese.

A inflorescência da Lithops ocorre entre suas folhas, mais precisamente em uma fissura. Suas flores quase sempre são perfumadas, costumam abrir sempre à tarde e se fecham junto com o pôr-do-sol.

Lithops floresce aproximadamente um ano após o plantio e uma vez ao ano a planta troca de roupas, ou seja, renova seu par de folhas. Após cada floração a suculenta também produz frutos que por sua vez dão inúmeras sementes.

Lithops – Dicas de Cultivo

A planta-pedra não é fácil de cultivar e por isso é considerada uma verdadeira joia rara da natureza. Seu crescimento é muito lento, e se você pretende tê-la, saiba que precisará de paciência.

Pela dificuldade de cultivo, a Lithops costuma custar bem caro e são muito desejadas por colecionadores. Elas são muito exigentes, mas depois de algum tempo é possível cuidar de forma menos trabalhosa.

Luz

Muitas Lithops são cultivadas em condições ambientais bem controladas, como viveiros. Então, apesar de ser uma planta de ambientes bem quentes e secos, antes de colocar sua plantinha direto no sol, é necessária uma aclimatação, expondo sua muda gradativamente a maiores intensidades de luz. 

Mas cuidado! Estas plantas não são de sombra, então o ideal é deixá-las no sol por uma hora durante uma semana e ir aumentando este período aos poucos. Quando não estiver exposta ao sol direto, ela deve estar em um ambiente que receba claridade indireta ou difusa. 

De modo geral, plantas com pouca luz estiolam, isto é, apresentam um crescimento exacerbado em direção à luz, com afinamento das folhas. Também, observe se suas plantas apresentam uma película esbranquiçada. Isto é sinal de que ela está sofrendo queimaduras, então reduza o tempo no sol direto.

Irrigação

As Lithops são plantas de clima árido com o verão chuvoso e o inverno seco. A recomendação é tentar seguir o calendário de chuvas da região onde você está, para ter sucesso com o cultivo. Assim, o inverno é um período de “dormência”, que não requer regas.

Nesta fase as folhas novas vão consumindo as velhas, até que estas se tornem uma fina película sobre a nova. Ao final deste processo, as regas podem ser retomadas (1 a 2 vezes por semana). 

Em geral, nunca deve haver mais de dois pares de folhas em uma planta. Irrigação na época de troca de folhas faz com que as folhas velhas não murchem e isso impedirá o completo desenvolvimento das folhas novas. É preciso que estas antigas folhas sequem, para que as novas venham fortes e bonitas.

Em períodos chuvosos, com alta umidade relativa do ar, não há a necessidade de regas frequentes, a menos que elas apresentem murcha nas folhas. Portanto, sempre fique atento às condições climáticas de onde você está cultivando suas Lithops

Substrato

Para a maioria das suculentas prosperarem o substrato precisa ser bem drenável e para as lithops ainda mais.
Em seu habitat natural, vivem em meios rochosos e com um solo bem pobre. Dessa forma, quanto menos material orgânico o seu substrato tiver, melhor.
Você pode preparar um substrato com:

– uma parte de terra vegetal ou substrato para cactos
– uma parte de perlita
– três partes de pedrinhas de rio

Outra forma muito utilizada pelos cultivadores lá fora ,é o usa da akadama como substrato, pois são altamente drenáveis e aeradas, permitindo que a água passe através dela. A akadama é de origem vulcânica japonesa, sendo um substrato mineral de alta qualidade para o cultivo de lithops.

Plantar/Replantar

As lithops só precisarão ser replantadas quando o pote estiver pequeno, ou se quiser checar a saúde de suas raízes e fazer uma manutenção. O período mais indicado é no período ativo da planta. No outono, antes da sua floração iniciar ou na primavera.
Aproveite para tirar o resto das folhas secas que ficaram e também para cortar a pontinha das raízes, 0,5cm, para estimular o seu crescimento.

Quando compramos uma planta nova também é aconselhável fazer essa manutenção.

O ideal é ter uma vaso apenas para as lithops e não misturar com outras suculentas pois exigem uma rega diferenciada.

Fertilizante

Como já vimos, as lithops prosperam em um solo pobre. Então não há a necessidade de utilizar fertilizantes.
Caso esteja cultivando a lithops na akadama, por ser um substrato mineral e não conter nenhum nutriente, nesse caso, poderá utilizar uma quantidade muito pequena e diluída de fertilizante uma vez ao ano, idealmente na primavera para estimular a floração.

O ideal é um fertilizante com baixo nitrogênio, já que as lithops possuem um crescimento extremamente lento.

Propagação

Diferente da maioria das suculentas a sua multiplicação não pode ser feita por folhas. Sendo assim, são feitas através das sementes. As sementes podem ser compradas pela internet ou produzidas por você mesmo.

Para a produção de sementes, você precisará de duas plantas com flores e realizar a polinização manual delas. Com um pincel de cerdas suaves ou um cotonete, passe em uma flor, coletando o seu pólen e leve em direção a outra flor, passando o pincel/cotonete nela. Repita o mesmo processo agora levando para a primeira flor para que ela também possa ser polinizada.

Quando as flores morrerem, irá formar uma cápsula cheia de sementes. Retire a cápsula e borrife água nela para que ela se abra e você possa coletar as sementes.

Pragas e doenças 

A principal causa de doenças em Lithops é resultante do excesso de água. Esta umidade favorece o desenvolvimento de patógenos que apodrecem suas raízes, matando a planta. Na dúvida, evite regar suas Lithops. Lembre-se que elas vivem em condições desérticas, sem chuvas por até 6 meses. 

Outro problema que pode ocorrer é o ataque do ácaro marrom, que se alimenta da seiva das plantas. Ele pode ser controlado por outro ácaro (chamado de “ácaro predador”), que pode ser encontrado à venda em casas agropecuárias. Alguns produtos contendo óleo de Neem também podem ser eficazes no combate a esta praga das Lithops

Se você quer cultivar Lithops, atente-se a estes cuidados básicos aqui apresentados. Estas são plantas bastante resistentes, e há exemplares com mais de 50 anos de idade. Lembre-se sempre de tentar ao máximo provê-las de um ambiente bem próximo ao natural que você terá sucesso!

Produtos que podem te interessar

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.