Ornamentais Plantas

Maranta: tipos e como cuidar dessa planta tropical

Também conhecida como planta rezadeira, a Maranta possui uma folhagem estampada que ilumina qualquer ambiente.

Maranta é o nome popular dado às espécies da família Marantaceae. Trata-se de um conjunto de mais de 30 espécies tropicais diferentes com folhas em formatos, tons e texturas distintas. Entre eles os gêneros que mais se destacam são: Calathea, Ctenanthe e Stromanthe.

São plantas que podem alcançar até 50 cm de altura, com folhagens vistosas, manchadas, e uma variedade em tons verdes, vermelhos ou creme

Os ambientes internos são perfeitos para elas, assim como varandas e jardins que recebem pouca luz, já que não toleram raios solares diretos (provoca enrolamento e queimadura das folhas).

Ainda assim, é possível formar uma linda composição paisagística no jardim com diversas espécies de marantas. No entanto, o cultivo em áreas externas exige atenção uma vez que as marantas não se desenvolvem bem sob exposição direta ao sol.

Nos vasos as marantas também marcam presença e com o passar do tempo acabaram conquistando cada vez mais espaço na decoração de casas, escritórios e estabelecimentos comercias. 

Tipos de Maranta

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam é possível encontrar na natureza diferentes tipos de maranta com cores e texturas bem peculiares. Alguns tipos de marantas mais conhecidos para o cultivo doméstico são: 

Maranta tricolor (Ctenanthe oppenheimiana)

A maranta tricolor é um verdadeiro espetáculo de cores. Isso porque, sua estrutura folicular apresenta lindos nuances em tons de verde e rosa. Nativa da mata atlântica essa espécie vive muito bem em ambientes internos, por esse motivo evite a exposição direta dessa planta ao sol.

Maranta pavão (Calathea makoyana)

A maranta pavão é uma planta brasileira que pode ser cultivada tranquilamente em ambientes internos, uma vez que se adapta bem em ambientes à meia-sombra. Sua estrutura folicular possui formato oval, com tonalidade verde e linhas transversais brancas que realçam sua textura.

Maranta zebrina (Calathea zebrina)

A maranta zebrina é marcada por folhas com formato elíptico em tom verde-claro com pinceladas em verde-escuro. Quanto ao cultivo e manutenção, a maranta zebrina se desenvolve bem em temperaturas amenas, portanto, procure deixar sua planta em locais mais iluminados e frescos da casa.

Maranta cascavel (Goeppertia insignis)

A maranta cascavel se destaca graciosamente quando cultivada em jardins e vasos. Isso acontece, pois a maranta cascavel apresenta folhas mais alongadas com bordas levemente onduladas, em tons que variam de verde-escura ao verde-claro. Além do mais, na parte de trás de sua folhagem é possível observar também uma coloração roxa.

Maranta riscada (Calathea ornata)

A maranta riscada é resistente e se adapta muito bem em ambientes com meia-sombra. Suas folhas são muito peculiares e apresentam um tom de verde bem escuro com linhas finas na cor rosa. Vale ressaltar, que assim como a maranta cascavel a maranta riscada também apresenta um tom roxo na outra face da folha.

Maranta Burle-marx (Calathea Burle marxii)

É um híbrido artificial de outras Calatheas e recebeu o nome em homenagem qo arquiteto paisagista brasileiro, Roberto Burle Marx. Sua folhagem é mais arredondada, com um fundo em verde-claro e manchas em verde-escuro. Não suporta o sol direto, porém prefere ambientes iluminados. Por isso, ela é um tipo de maranta mais sensível, mas que fica bem em decoração de jardim e para interiores.

Dicas de como cuidar da maranta

Por serem nativas de áreas tropicais, as marantas se desenvolvem melhor em local quente e úmido e não suportam bem invernos rigorosos e sem chuva.

Luz: A espécie precisa sempre estar sempre sob a sombra, para que as folhas, que são sensíveis, fiquem protegidas do sol e não sofram queimaduras. Caso seu vaso fique dentro de casa ou em local fechado, coloque-o em local arejado a cada 15 dias. A planta precisa, no mínimo, de 2-3 horas diárias de “luz indireta”.

Solo:  Ao plantar no solo, misture adubo orgânico para garantir que a planta não sofrerá com a escassez de nutrientes, plante as mudas com no mínimo 5 centímetros de espaçamento entre elas, ou dez no caso de espécies de maior tamanho. Em vasos, é necessário garantir que a raiz tenha um espacinho bom para crescer. Um bom substrato para a maranta é uma mistura de parte de terra comum de jardim, duas de terra vegetal, uma de adubo orgânico e uma de areia. Adube a cada 6 meses.

Rega: Tanto no solo quanto em vasos, é legal dar uma atenção diariamenteprincipalmente durante o verão ou em épocas em que a umidade do ar é menor. Você pode borrifar as folhas com água nos dias mais quentes dia sim dia não. Muitas vezes também pode ser necessário podá-la, removendo folhas secas ou mortas, para que assim a planta volte a crescer novamente. O solo deve ser bem drenado e mantido úmido. Ela não tolera o solo encharcado.

Poda: Caso seja necessário, realize a poda, removendo folhas mortas ou secas. Assim, a maranta pode voltar a crescer com força.

Pragas e doenças: Geralmente são muito resistentes a doenças, ocasionalmente problemas fúngicos, e também podem aparecer manchas nas pontas e bordas das folhas devido à falta de umidade do ambiente. Também pode ser atacada pelas terríveis cochonílhas.

Como propagar

A maneira mais fácil de propagar a maranta é por divisão. Na verdade, essas plantas caseiras tendem a se sair melhor quando são divididas e replantadas a cada ano no início da primavera, antes do início do período de crescimento da planta.

1 . Prepare um vaso de tamanho apropriado com terra fresca. Usando uma das mãos para segurar os caules e proteger as folhas, incline suavemente o vaso e remova a planta.

2 . Use as mãos para soltar suavemente o solo ao redor das raízes da planta-mãe. Com cuidado, separe as raízes um pouco para ver onde há um bom grupo de hastes que não estão muito conectadas à planta-mãe. Puxe ou corte delicadamente quaisquer raízes conectadas entre os dois grupos.

3 . Replante sua nova planta no novo recipiente com solo fresco. Replante a planta-mãe em um vaso de tamanho apropriado com solo fresco também.

4. Regue e cubra sua nova planta com um saco plástico transparente para ajudar a reter a umidade até que você veja um novo crescimento. Durante esse tempo, mantenha sua planta em um local com menos luz do que o normal enquanto ela se ajusta ao novo vaso.

Curiosidades sobre a Maranta

A natureza usa todos os mecanismos possíveis para preservar suas criaturas. Um dos fenômenos mais curiosos ocorre com a maranta, que foi descoberta em 1875 e dedicada ao botânico Bartolomeu Maranta. Esta planta possui um sistema de células que se deslocam no ponto de junção do pecíolo e da folha, para orientar a lâmina foliar de modo a receber o máximo de luz.

Assim, durante o dia as folhas da maranta ficam dispostas horizontalmente, ao contrário do período da noite, quando elas se levantam e se fecham, como se fossem duas mãos postas a rezar, por isso o apelido curioso de “rezadeiras”.

Você também pode gostar...

1 comentário

  1. Neuza cordeiro diz:

    Hoje tenho dois tipos destes que mostrou, gostaria de melhorar o seu cultivo vou enviar para que confirme se e mesmo o maranta Obrigada pela informação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.