Hortaliças Plantas

Ora-pro-nóbis: planta ornamental rica em proteínas

A ora-pro-nóbis é uma PANC (Planta Alimentícia Não Convencional) que vem chamando cada vez mais a atenção. Isso porque suas folhas têm uma sabor delicioso e também um alto índice de proteínas, o que a torna uma boa alternativa em dietas sem produtos de origem animal.

É um tipo de trepadeira folhosa e cheia de espinhos, nativa do continente americano e muito comum no estado de Minas Gerais. A ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata) é uma cactaceae reconhecida pelo alto valor nutritivo das folhas, parte mais utilizada na culinária e na medicina popular.

Ela faz parte da refeição de muitos mineiros, mas na maioria do Brasil, é apenas usada como ornamental para decoração de muros, deixando de ser aproveitada em saladas, sucos ou refogados. A flor e os frutos da ora-pro-nóbis também são comestíveis e bem fáceis de plantar.

Significado do nome “ora-pro-nóbis”

Ora-pro-nóbis é oriundo do latim, que significa “rogai por nós”, ou “orai por nós”. Dizem que tudo começou na época do ciclo do ouro, na região de Ouro Preto, Sabará, São João del. Rey e Tiradentes, àquela época ainda chamada Vila de São José. Os padres europeus plantavam esta planta no entorno das igrejas, a fim de criar uma barreira natural, uma vez que seus arbustos possuem espinhos em seu caule. Não se sabe exatamente quem começou ou o primeiro que experimentou as qualidades culinárias e nutritivas da planta, mas sabe-se que devido às dificuldades dos menos favorecidos naquela época em adquirir alimentos em fartura, começaram a consumir as folhagens que são ricas em nutrientes, tendo sido chamada até de “carne dos pobres” pelos mais abastados.

Os padres não queriam ver seus arbustos sendo literalmente desfolhados e mantinham certa vigilância para que não colhessem as folhas das plantas da igreja. Para driblar a dura vigilância, os consumidores das tenras folhas esperavam que o padre começasse o sermão da missa em latim, que durava tempo suficiente para que pudessem chegar às plantas e pegassem o quanto queriam de folhas. Esta missa tinha uma parte em que se repetia a expressão ora pro nobis, o que terminou por batizar o arbusto.

Como consumir ora-pro-nóbis?

Além de comestíveis, suas folhas e flores são utilizadas para fins medicinais como cicatrizante e anti-inflamatório. Porém, lembre-se sempre de ter a orientação correta antes de se automedicar, pois, mesmo sendo de fonte natural, pode haver riscos a saúde se mal utilizada.

Na cozinha, o jeito mais simples de preparar é refogar as folhas com alho e azeite, ou com o seu tempero favorito. Uma outra alternativa é usar em outros pratos como complemento.

Uma dica rápida, é usar as folhas da ora-pro-nóbis para “turbinar” seu feijão. Sim, quando for cozinhar feijão, coloque algumas folhas da planta para que ele possa ser ainda mais rico em nutrientes como cálcio, ferro, fósforo, fibras e, claro, proteínas.

Como plantar ora-pro-nóbis?

É uma ótima opção para locais de bastante sol, mas também conseguem se adaptar à meia sombra (sol fraco da manhã e/ou do final da tarde), mais secos e quentes e com solo não tão rico em nutrientes. 

Podem ser plantadas em vasos, e toleram ventos, mas não gostam muito de alta umidade, pois isso pode causar fungos em suas folhas.

Na hora de regar, é importante falar que estamos falando de um cacto, com espinho e tudo, e que, portanto, não exige regas tão frequentes. O ideal é sempre fazer uma rega abundante, molhando bem o solo ou substrato e depois só voltar a regar quando o mesmo estiver seco por completo.

A adubação pode ser duas vezes ao ano, com adubos orgânicos, preferencialmente no final do invernos e início do verão.

A poda é outro manejo muito importante para essa espécie lenhosa, ou seja, que tem seus galhos mais duros como de árvore, sendo fundamental a poda de limpeza e crescimento, tirando galhos secos e coordenando sua forma de crescimento.

Faça as podas na época de outono ou inverno, e em dias de lua minguante, preferencialmente.

Mudas

Para se fazer uma muda de Ora-Pró-Nobis, pode ser pelo método de estaquia, retirando um galho da parte mediana da planta mãe e das pontas, de aproximadamente 10 a 15 cm, subtraindo as folhas da parte inferior com uma tesoura e  com cuidado para não danificar as gemas do galho. Deixe apenas 1/3 de folhas, e estas cortadas ao meio. Coloque o galho em um vaso com a mistura de uma parte de substrato para mudas e uma parte de areia lavada, e aguarde o enraizamento, que será indicado quando o galho começar a gerar novos brotos, em torno de 2 a 3 meses depois.


Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.