Ornamentais

Palmeira de Madagascar: como plantar e cuidar

Pachypodium lamerei é o nome científico da espécie conhecida como palmeira de Madagascar. Apesar do nome, a palmeira de Madagascar não é uma palmeira. Trata-se de uma planta semi-suculenta, florífera e ornamental, de porte arbustivo a arbóreo, da mesma família das rosas do deserto e do jasmim-manga.

O nome do gênero, ‘Pachypodium‘, vem da união das palavras gregas ‘pachy‘ que significa ‘grosso’, e ‘podium‘, que significa ‘pé’, uma alusão ao tronco engrossado das plantas desse gênero. Como o próprio nome popular já diz, trata-se de uma planta nativa da Ilha de Madagascar, na costa da África.

A palmeira de Madagascar geralmente possui um tronco único, engrossado desde a base, típico do gênero, o paquicaule. Ele é uma adaptação para sobreviver por períodos de estiagem, e estoca água em seu interior. A casca é de cor cinza-prateada, brilhante e recoberto por pontiagudos espinhos reunidos em tubérculos.

Na natureza e quando cultivado em condições favoráveis atinge de 2,5 a 6 metros de altura ou mais. Geralmente seu tronco cresce colunar até a primeira floração, o que ocorre quando ela alcança de 1,5 a 1,8 metros de altura e tem aproximadamente 10 anos, quando então pode se ramificar.

Ocorrem ainda variedades diferentes da espécie, como a ‘ramosum’, ‘compactum’, ‘cristata’, ‘crested’ e a ‘monstruosum’.

Suas folhas são simples, verdes-escuras, brilhantes, pecioladas, lanceoladas e com a face abaxial tomentosa. Elas tem cerca de 30 cm de comprimento e ficam dispostas de forma espiral no topo da planta, à semelhança de uma palmeira.

Na primavera e começo do verão as plantas maduras e que crescem sob sol pleno florescem. As inflorescências são terminais, com pedúnculos fortes e ramificados, e flores muito vistosas, pentâmeras, brancas com o centro amarelo e bastante perfumadas. Se polinizada produz frutos semelhante a bananas, deiscentes, com numerosas sementes aladas.

De efeito escultural e exótico, a palmeira de Madagascar torna-se facilmente uma planta de destaque no paisagismo. Com ela podemos brincar em diferentes estilos, desde tropicais, desérticos a contemporâneos.

Como plantar a palmeira de Madagascar

A palmeira de Madagascar, além de única, é muito fácil de cuidar, e o plantio também é bem simples e eficaz.

É uma planta que precisa de espaço, mas, inicialmente pode ser plantada em vasos pequenos. Se você escolher essa opção, tenha consciência de que precisará ser replantada em espaços maiores no decorrer da vida para crescer.

Se for plantada sem vaso, coloque o insumo adequado antes de colocar a muda. No caso de plantio em vasos, você deverá misturar esse insumo com a terra que será usada para o plantio.

No início, a planta precisará de regas diárias, mas sempre tenha cuidado para não encharcar o solo. Quando você perceber que está bem fixa, poderá aumentar o espaçamento entre essas regas.

Após plantada, é só adotar os cuidados necessários com a espécie que sua planta vai continuar crescendo linda e consequentemente, com boa saúde.

Na natureza a propagação ocorre através de sementes.

Logo abaixo vamos você vai aprender tudo os cuidados necessários para que a planta continue saudável.

Dicas para cuidar da sua Palmeira de Madagascar

Ao escolher sua planta, é preciso que você entenda a importância dos cuidados que deve ter com ela. Afinal, é um ser vivo e precisa do compromisso em relação a esses cuidados.

O primeiro passo é pesquisar sobre os locais de onde a planta é nativa, assim você entenderá o clima favorável ao crescimento saudável da espécie.

Na pesquisa você também deverá identificar o solo adequado para plantio, a frequência de regas e quantidade de água ideal em cada rega.

Outro fator importante são as condições do ambiente, se deve ser bem ventilado, se a planta gosta de ficar suspensa, se gosta de meia sombra ou sol pleno assim por diante.

SHOPEE.COM.BR

vaso de barro cerâmico n°5

E por último e não menos importante, quais pragas costumam afetar essa planta e quais as atitudes e rotina necessária para combater esse problema.

Dessa forma vai ser possível que você tenha todas as informações necessárias para manter a planta com boa saúde durante todos os ciclos.

Como regar

A ilha de Madagascar é o berço de diversas espécies de palmeiras e por ser uma ilha, o clima é majoritariamente tropical, mas essa espécie em especial possui estrutura adequada para aguentar grandes períodos de estiagem graças ao tronco suculento.

Devido a esse fator, está acostumada a receber luz direta do sol durante boa parte do dia ou todo o dia. Além disso, praias possuem solos arenosos, incidência considerável de chuvas, ambiente bem ventilado e amplo.

O ideal é que seja regada de 1 a 2  vezes por semana em estações quentes, se estiver muito calor e o solo secar rápido, pode ser que você precise regar 3 vezes na semana. Em estações mais frias em que o solo retém maior umidade, diminua a frequência de regas.

O que vai determinar a quantidade de vezes que você vau precisar molhar será o clima, se o solo estiver seco, já está pronto para receber água novamente.

Para saber a hora certa, sinta o solo com a mão ou espete um palito para saber se ainda está úmida por dentro

Não tenha medo de regar, apesar de ser uma planta de pequeno porte, precisará de abundância de água quando estiver maior. Mas fique sempre observando para não exagerar e acabar “afogando” a planta ou fazendo com que cause o surgimento de fungos.

Essa quantidade vai variar conforme o tamanho que a planta estiver.

Como deve ser o solo

O solo de regiões tropicais, em condições normais e naturais são ricos em ferro e calcário. Bem nutritivo e com bom sistema de drenagem.

Para sua palmeira ter um bom desenvolvimento o solo deve se assemelhar ao original. Essa planta, por exemplo, prefere solo arenoso, então misture sempre um terço de areia em dois terços de substrato e coloque no vaso.

Deve ser assim porque precisa se parecer o máximo possível do habitat original. A areia vai ajudar no processo de drenagem fazendo com que o solo fique bem solto e leve.

O mais adequado é que a planta fique diretamente plantada na terra para ter mais espaço, mas pode ser cultivada em vasos do material da sua preferência. O ideal é que seja feito de material resistente como gesso ou barro. Mas, quando pequena pode ser colocada em vasos de plástico.

Esses vasos devem ter boa drenagem, ou seja, garantir escoamento eficiente da água, pois, como você leu no tópico anterior, essa espécie não se adapta bem em solo úmido ou encharcado.

Para garantir esse aspecto, o vaso deve ter aqueles furos na parte inferior para que a água proveniente das regas ou da chuva possa escorrer e evitar que acumule, apodreça as raízes ou faça que a planta seja atacada por qualquer categoria de fungo, vírus ou bactéria.

Outra dica é quando for colocar a terra no vaso, colocar uma camada de pedras e cascalhos para garantir uma drenagem ainda mais eficiente, fazendo com que a água escorra ainda mais rápido. Coloque no fundo do vaso quando for fazer o replantio.

Se o vaso não possuir esses furos, você precisará fazer.

Recomendamos que você aposte em um substrato orgânico e bastante nutritivo e adequado para a espécie. As flores só aparecem na fase adulta da planta, durante essa fase você pode utilizar fertilizantes que incentivem a floração.

Você também pode utilizar compostos inorgânicos que não sejam agressivos para essa palmeira, converse com o vendedor da loja onde você for.

Essas dicas são importantes, pois, o substrato deverá ser trocado periodicamente para manter a boa saúde da planta. Assim como o nosso corpo, em determinado momento, os nutrientes precisarão ser repostos já que os que estavam disponíveis terão sido completamente utilizados.

Qual o ambiente ideal

Assim como em praias, o melhor lugar para colocar plantas dessa espécie é em locais espaçosos e bem ventilados. Graças ao seu habitat, é bastante resistente a ventanias, entretanto, não suportam geadas.

Ambientes externos são os melhores, pois, são geralmente bem arejados e bem iluminados, com bastante luz do sol. Além disso, ainda assim consegue oferecer a sensação de frescor e diversas opções de decoração.

Se for colocada embaixo de escadas, se certifique ser um local onde é possível que a planta receba os raios solares diretamente.

Você também pode cultivar em casa, mas eventualmente terá que plantar diretamente na terra conforme for crescendo.

A palmeira de Madagascar deve ser cultivada em sol pleno ou meia sombra, ou seja, no mínimo 4 horas de sol diariamente. Se estiver no exterior da sua casa será melhor ainda, pois, receberá luz solar durante todo o dia.

Decoração

Lembre-se de valorizar o tronco da planta, cultivando ela com bom espaçamento e cobrindo o solo com pedriscos ou outra forração morta. Em jardins com tendência ao acúmulo de umidade, o local de escolha para o plantio da espécie deve ser elevado, aproveitando o relevo natural do terreno ou criando elevações artificialmente se necessário.

Plante a palmeira de Madagascar isolada, em grupos espaçados ou misturada com outras espécies, como agaves, crótons, cactos e suculentas.

Infelizmente, o cultivo diretamente no jardim é restrito às regiões tropicais e semi-áridas. Em regiões frias, como no sul do país, a planta pode ser cultivada em vasos, da mesma forma que outros cactos e suculentas, ou mesmo fazendo parte da sua coleção de rosas do deserto.

O importante aqui é proteger a planta durante o frio, trazendo-a para estufas ou ambientes internos nesse período, e posicionando ela de forma que pegue a luz solar direta através de uma janela ou clarabóia.

AMAZON.COM.BR

Tesoura para Cerca Viva, Tramontina, com Lâmina Metálica e Cabo de Madeira

A palmeira de Madagascar é venenosa?

Sim. Essa espécie é venenosa para humanos e animais devido à seiva presente nas folhas e no caule. Essa seiva pode ser vista quando arrancamos alguma folha, por exemplo. Além disso, os espinhos podem oferecer perigo principalmente para crianças pequenas.

Fique sempre atento caso você tenha animais em sua casa, no caso de crianças oriente-as a não brincarem próximas a essa planta de modo a evitar transtornos posteriores.

Os sintomas são os mais comuns em caso de intoxicação: vermelhidão, vômitos e dificuldade respiratória. Caso note esses aspectos, se dirija imediatamente para um pronto-socorro ou, se for seu pet, recorra ao veterinário.

Como lidar com pragas

Esse é um problema muito comum que pode ocorrer em qualquer categoria de planta, lidar com pragas e doenças é estressante e desgastante para quem cultiva e principalmente se for diagnosticado de tardiamente.

Você deverá checar sempre as folhas, caule, folhas e raízes diariamente para ter certeza de que está tudo bem.

A praga mais comum nessa espécie é a broca-do-olho-das-palmeiras. Esses insetos podem aparecer como larvas ou como besouros pretos com aspecto aveludado. Esse inseto se instala e utiliza as fibras da própria planta para construir um casulo.

Pode atacar a planta em qualquer época do ano e possui hábitos diurnos, mais fácil de identificar. Além disso, exalam um odor forte.

Para eliminá-los é necessário colocar uma armadilha que poderá ser comprada em alguma loja especializada. Essa armadilha terá um cheiro agradável para os insetos e vai atrair eles.

Outra praga comum é o ácaro da necrose. É um inseto branco que utiliza a planta como alimento. Existem alguns remédios eficazes no combate dessa praga como abamectina, azadiractina, espirodiclofeno, fenpiroximato e hexitiazoxi  que também poderão ser comprados em lojas especializadas.

Os cupins também podem destruir a palmeira. São insetos encontrados no solo ou em objetos de madeira e se alimentam de celulose e esse é o principal elemento do caule das plantas.

Para os combater o recomendado é a utilização de inseticidas específicos para a praga você pode adicionar mais matéria orgânica no solo já que cupins costumam atacar solos mais fracos.

Outra alternativa é criar barreiras no solo ou utilizar inseticidas específicos para o controle de cupins.

Sempre pode as folhas amareladas ou amarronzadas, retire também os frutos podres e as folhas mais murchas para que a planta continue saudável.

Caso as raízes apodreçam, tente podar, replantar ou utilizar algum fungicida. Mas evite esse transtorno não exagerando nas regas.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.