Árvores

Pândano: Como cultivar essa árvore tropical de aspecto curioso

Pândano é uma árvore tropical original das Ilhas do Pacífico Sul, muito semelhante a uma palmeira. Essa árvore pertence à família Pandanaceae e tem altura variada entre 6 e 9 metros.

Com características bem curiosas, o pândano é diferente da maioria das plantas, pois se adapta muito bem a solos bem úmidos. Além disso, suas raízes que crescem fora da terra garantem estabilidade mesmo durante as fortes chuvas tropicais.

Suas folhas são longas, achatadas como espadas, com margens denteadas, e dispostas em espiral entorno do caule lenhoso e pouco ramificado.

Destaque também para as raízes aéreas, que emergem calibrosas diretamente do caule, acima do solo e apresentam função de sustentação da planta. Os frutos do pândano são grandes e do tipo drupa.

As folhas do pândano são verdes, ocorrendo cultivares variegadas de amarelo ou branco, muito decorativas. O aspecto escultural desta planta chama a atenção no jardim, principalmente quando isolada ou em pequenos grupos, valorizando assim o paisagismo.

Seu crescimento é bastante lento, mas recompensador. O pândano pode atingir mais de 10 metros, mas mesmo quando jovem é uma planta vistosa.

Tanto as folhas como os frutos do pândano são muito importantes para os povos polinésios. Lá eles são aproveitados na culinária e no artesanato, na fabricação de cestos e em adornos.

Tipos de pândano

A espécie mais comum é a Pandanus veitchii, nativa da Polinésia. Essa variação da pândano costuma ter entre 1,5 e 3 metros de altura, além de folhas longas, com pequenos espinhos na margem, dispostas em espiral em um tronco pouco ramificado e pouco espesso. Nesse ínterim, as suas folhas podem chegar a 90cm de comprimento.

Semelhantemente, o Pandanus utilis é a maior árvore do gênero, podendo atingir entre 3 e 7 metros de altura. Suas raízes chegam a ter cerca de 8cm de diâmetro, ajudando-a a se manter vertical durante tempestades e fortes ventos.

Quando jovem, esse tipo de pândano tem tronco curto, retorcido e com muitas folhas rígidas e espinhos vermelhos na margem. Os pândanos fêmeas dão fruto e têm flores globosas. Por outro lado, os machos produzem flores com leves fragrâncias, mas não dão fruto.

Em contrapartida, o pândano rasteiro (Pandanus racemosus) é uma planta rastejante, de forma que cresce mais para lateral do que para cima. Diferente dos outros tipos de pândano, o rasteiro é um arbusto bastante ramificado que atinge somete 1m de altura.

Suas folhas verde-escuras são dispostas em rosetas nas extremidades dos ramos e são bastante usadas na decoração de jardins. Embora tenham flores em ambos os gêneros, o pândano rasteiro não é usado no paisagismo, já que são pequenas e sem pétalas.

Por fim, as espécies Pandanus candelabrum e Pandanus tectorius são menos comuns.

Pandanus tectorius é nativa dos pântanos do Sudeste Asiático e da Polinésia, onde a vegetação permanece a maior parte do ano alagada. Por outro lado, a Pandanus candelabrum é encontrada na Libéria e aparentemente só cresce em locais onde existe um tipo de rocha vulcânica que abriga diamantes.

Acredita-se que isso aconteça devido aos níveis elevados de magnésio, fósforo e potássio encontrados no solo.

Pândano – Dicas de Cultivo

O pândano deve ser cultivado a meia sombra, evitando o sol nas horas mais quentes do dia, das 10 às 17:00 horas.

Tolerante à maresia, ventos e salinidade do solo, o pândano é uma árvore ideal para o litoral. Planta tipicamente tropical, não tolera clima frio ou seco.

O solo onde for plantado deve ser fértil, rico em matéria orgânica e drenável. O ideal é fazer uma mistura de adubo orgânico com areia grossa para que haja uma boa drenagem.

Embora não seja o recomendado, algumas variedades de pândano podem ser cultivadas em vasos dentro de casa. Entretanto, elas devem receber pelo menos 4 horas de luz solar direta para permanecerem saudáveis. O ideal é que o pândano receba bastante irrigação e luminosidade.

Com relação às regas, elas devem ser regulares a fim de manter o solo sempre úmido. Regar apenas na base, molhar toda a planta pode fazer com que a água se acumule nas folhas, o que geralmente leva à podridão.

SHOPEE.COM.BR

2kg Adubo Liberação Lenta 14-14-14 3m TIPO Osmocote

O pândano aprecia a alta umidade do ar, que é essencial para o crescimento exuberante das folhas.

Fertilizar a cada quatro meses, usando um fertilizante equilibrado, seco e de liberação lenta. Espalhe o fertilizante no chão ao redor da planta, mantendo distância do tronco e depois regue profundamente.

Fazer podas de limpeza removendo, folhas secas doentes em qualquer época.

Multiplica-se por sementes e por divisão das mudas formadas entorno da planta mãe.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.