Suculentas

Peperomia Rotundifolia: como cuidar da suculenta colar de lentilhas

Peperomia rotundifolia, conhecida no Brasil como colar de lentilhas, é uma suculenta perene nativa da América do Sul que pertence a família Piperaceae e ao genêro Peperomia. Como é uma planta epífita, é encontrada em troncos de árvores, fendas de rochas e até no chão das florestas.

O principal atrativo desta planta são suas folhas arredondadas e verdes. Elas são pequenas, gordinhas e com um aspecto translúcido. Tal qual formam uma camada em relevo com uma aparência gelatinosa. Bem como as balas de gelatinas, são uma graça e cativam o olhar de qualquer um a primeira vista.

Sua floração pode passar despercebida já que sua inflorescência é bem peculiar. Ao contrário do que estamos acostumados a ver, ela é minúscula e sua roseta imperceptível a olho nu. Elas aparecem como uma pequena haste texturizada ao longo do colar, por isso não são reconhecidas como flores já que não apresentam a forma comum de uma flor.

Observe sua planta mais uma vez, pode ser que ela já esteja com flores e você nem tinha se dado conta. Há quem goste de cortar as hastes florais já que elas não possuem um papel muito ornamental e acabam enfraquecendo a planta. Assim, a planta não gastará energia nas flores e concentrará a sua energia na própria planta.

Esta suculenta pode ser facilmente confundida com a Peperomia prostata já que possuem características semelhantes de forma e tamanho. As semelhanças não são ao acaso, já que pertencem a mesma família e são do mesmo gênero.

O que as diferenciam são os desenhos em suas folhas, já que a Colar de Lentilha não possui desenhos, pois suas folhas são lisas. Ao passo que a Peperomia prostata aprensenta desenhos que lembram muito um casco de tartaruga e por isso é conhecida popularmente como Colar de Tartaruga.

Colar de Lentilhas – Dicas de Cultivo

Luminosidade: O Colar de Lentilhas é uma espécie de fácil cultivo porém precisa de atenção quando se trata de exposição solar. Preferem um lugar com bastante claridade, como perto de janelas ou ambientes que recebam bastante luz.

Como outras espécies do genêro Peperomia, podem ser cultivadas ao ar livre ou dentro de casa, contanto que seja em um ambiente bem iluminado. Aceitam luz solar direta apenas se for nas primeiras horas da manhã ou bem ao final da tarde. Não deixe-a exposta aos horários mais quentes do dia. Caso isso ocorra, ela poderá apresentar queimaduras em suas folhas.

Rega: A rega vai depender muito da sua região e do tipo de substrato que utiliza. Um solo bem drenável e leve, característico para cactos e suculentas, é o indicado para essa espécie. Se utilizar um substrato muito pesado, poderá compactar a terra e sufocar suas raízes. Esta espécie gosta de um solo mais úmido, não encharcado. Para isso, suas regas podem ser feitas com mais frequência, antes que o substrato seque completamente.

Substrato: O Substrato ideal é o típico para cactos e suculentas, bem leve e solto com uma boa drenagem.

Propagação: A propagação do Colar de lentilhas pode ser feita por estaquia e por folhas. Nesses dois modelos você pode utilizar um potinho com tampa para criar um ambiente mais úmido, como uma estfua, o que ajuda bastante no processo de enraizamento. Lembrando de abri-los uma vez por dia para não causar apodrecimento ou fungos indesejados.

O forma que dá mais certo e com certeza com maior probabilidade de sucesso é a propagação por estaquia. Faça um corte na haste com uma ferramenta limpa e esterelizada. Depois enterre a pontinha da haste no substrato ou deixe em um copo com água até enraizar.

Caso opte pelo substrato espere uma semana antes de regar para forçar o processo de enraizamento. Se utilizar a água, assim que aparecerem raízes suficientes você poderá passar para o substrato.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.