Hortaliças Plantas

Sálvia: planta rica em substâncias benéficas à saúde

O nome sálvia vem do latim “salvere”, que significa “dar saúde”.

A sálvia é gênero que compreende cerca de 900 espécies de plantas herbáceas e lenhosas da família da Lamiaceae. O gênero é distribuído por toda a Eurásia e Américas e é especialmente diverso na América Central e na região do Mediterrâneo. Alguns membros são importantes como fontes de tempero e muitos são cultivados como plantas ornamentais de jardim.

Descrição física

As plantas do gênero Salvia são ervas, arbustos ou subarbustos e geralmente são perenes e aromáticas. As folhas podem ser simples ou compostas e estão dispostas de forma oposta ao longo das hastes quadradas. As flores são geralmente tubulares com dois lábios e apenas dois estames e nascem em inflorescências terminais. Pode apresentar flores de diferentes cores dependendo da espécie, entre elas branco, lilás e vermelho. Costuma-se cultivar esta planta em jardineiras ou jardins externos no intuito que suas flores atraiam beija-flores.

Espécies principais

As espécies de sálvia mais conhecidas são: salvia officinalis, salvia sclarea, salvia hispânica e salvia divinorum.

Salvia officinalis

imgem: salvia officinalis

Salvia officinalis, assim como a esclareia, é uma planta oriunda da região do mediterrâneo. Além de ser cultivada como erva aromática e medicinal, a Salvia officinalis é utilizada como planta ornamental, devido à sua exuberância.

Salvia officinalis é um ótimo tempero para pães e também pode ser utilizada em bebidas, sopas e doces.

O óleo essencial de sálvia officinalis concentra princípios ativos com propriedades antibióticas, antifúngicas, adstringentes, antiespasmódicas, estrogênicas, hipolicêmicas e tônicas.

A sálvia tinha fama de prolongar a vida e proteger as pessoas, como falado pela Rosy L. Bornhausen em seu livro “As ervas do sítio”. Acreditava-se que a planta ajudaria na expulsão de demônios, dessa maneira era usada em rituais. Mas a partir do século 17, cresceu muito o seu uso na culinária em todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos e na Itália.

Existem diversas maneiras de utilizar a erva no meio medicinal. Comecemos pelo formato de chá. É preciso duas colheres (chá) das folhas de sálvia e 250ml de água fervente. Misture os dois ingredientes e deixe repousar por 10 minutos. Passado o tempo, coe e faça gargarejos, assim é possível tratar inflamações na boca.

Outra maneira para aproveitamento da erva é utilizar seu extrato (ou óleo essencial), que pode ser encontrado em lojas de produtos naturais.

Óleo essencial de Salvia officinalis

PROPRIEDADES E COMO USAR

As folhas e os topos floridos da Salvia officinalis contêm cerca de 5% de óleo essencial, composto de tujona, cânfora, cineol, β-cariofileno e limoneno.

O principal uso do óleo essencial da Salvia officinalis refere-se aos distúrbios menstruais e à menopausa: essa essência é de fato particularmente indicada no caso de menstruação irregular ou dolorosa, e para as andadas de calor da menopausa.

Como muitos óleos essenciais, também o da Salvia officinalis possui propriedades antivirais, antibacterianas e antifúngicas que o tornam um excelente remédio natural para o tratamento de infecções por herpes e cândida, além de distúrbios respiratórios e gripais.

COMO USAR O ÓLEO ESSENCIAL DE SALVIA OFFICINALIS

Para tirar maior proveito dos benefícios do óleo essencial de sálvia medicinal, adicione duas gotas desta essência a uma colher de sopa de um óleo vegetal da tua preferência, e aplique o óleo localmente para tratar aftas ou massageie-o no peito para melhorar a respiração tosse, resfriado ou bronquite.

Para distúrbios respiratórios, também é possível difundir a essência da sálvia no ambiente usando um difusor clássico (réchaud) ou ultrassônico. 

Quanto à Candida albicans, a essência da sálvia pode ser adicionada ao sabonete íntimo (uma gota a cada 10 mililitros de sabonete) ou o óleo essencial pode ser tomado por via oral, mediante prescrição médica.

A essência da sálvia tomada por via oral também tem ação colerética, isto é, estimula a produção e secreção de bile, melhorando os processos digestivos.

CONTRAINDICAÇÕES

O tujone presente no óleo essencial da Salvia officinalis é neurotóxico e abortivo, portanto, a essência desta espécie de sálvia deve ser usada com especial cuidado, sobretudo para uso interno. O seu óleo essencial também é contraindicado durante a gravidez, em crianças, em hipertensos, em epiléticos e em caso de sensibilidade a um de seus componentes.

Para usar externamente o óleo essencial de Salvia officinalis, ele deve primeiro ser diluído em um óleo vegetal qualquer, na extensão de uma ou duas gotas para cada dez mililitros de óleo vegetal.

O uso interno é recomendado apenas sob supervisão médica e por curtos períodos de tempo.

Salvia sclarea

imagem: salvia sclarea

Salvia sclarea, popularmente conhecida como sálvia esclareia, é uma erva nativa do mediterrâneo. O óleo essencial que é extraído das folhas e brotos da planta é perfumado e refrescante; e você pode utilizá-lo como desodorante e como tratamento complementar de doenças.

sálvia esclareia é fácil de cultivar em áreas de alta temperatura. Geralmente é cultivada para seu consumo como chá. Por seu uso no tratamento de doenças oculares, ela também é conhecida em inglês como “olho brilhante”. Mas a Salvia sclareia possui uma série de outros benefícios, que são obtidos principalmente por meio do uso de seu óleo essencial, que concentra suas propriedades.

Imagem: chá feito de folhas de sálvia

Óleo essencial de Salvia sclarea

PROPRIEDADES E COMO USAR

O óleo essencial de Salvia sclarea, ao contrário do da Salvia officinalis, não contém tujona e seu uso é quase inteiramente análogo ao uso da essência da sálvia-comum.

Este óleo essencial também é indicado para o tratamento de distúrbios relacionados ao ciclo menstrual e à menopausa, como dismenorreia, amenorréia, síndrome pré-menstrual, dor durante o ciclo e ondas de calor na menopausa.

Além disso, o óleo essencial da variedade sclarea também é indicado para problemas circulatórios e hemorroidas.

Para aproveitar os seus benefícios, basta adicionar uma gota deste óleo essencial a uma colher de sopa de óleo de amêndoa doce e usar a mistura obtida para aplicações locais em caso de hemorroidas e frieiras, ou para massagens corporais para promover a circulação e na barriga para aliviar distúrbios relacionados ao ciclo menstrual.

O óleo essencial de sálvia também é amplamente utilizado em cosméticos e, graças às suas propriedades adstringentes e reguladoras do sebo, é especialmente indicado para peles e cabelos oleosos, impurezas da pele e caspa oleosa.

Por exemplo, é possível adicionar uma gota de óleo essencial de sálvia à argila verde na preparação de máscaras faciais purificantes ou em uma colher de chá de gel de Aloe vera para ser usado como um regulador para pele com excesso de sebo e impurezas, assim como no couro cabeludo com caspa, ou para tratar cabelos demasiado oleosos.

Para finalizar, o óleo essencial de sálvia parece ser capaz de reduzir a transpiração, por isso, combinado com suas propriedades antibacterianas, o torna um excelente ingrediente natural para adicionar aos desodorantes caseiros.

CONTRAINDICAÇÕES

O óleo essencial de Salvia sclarea não apresenta contraindicações específicas, mas seu uso deve ser evitado na gravidez e em crianças, bem como em pessoas alérgicas a um ou mais componentes presentes na sua essência.

Sálvia hispânica

Imagem: Salvia hispânica

sálvia hispânica é a planta que dá origem às sementes de chia. Conhecida também como chia, esse tipo de sálvia é originário da Guatemala e das regiões central e norte do México. Suas folhas, assim como suas sementes, podem ser aproveitadas para infusões e ambas são ricas fontes de minerais, aminoácidos essenciais e ômega 3.

A semente de chia absorve água e cria um gel que pode ser misturado com alimentos, para aumentar o seu volume, sem ocasionar nenhum tipo de variação em relação ao sabor e ao valor calórico do alimento. Segundo um estudo do Jornal Europeu de Clínica Nutricional, a adição de chia na dieta pode ajudar a controlar os níveis de glicose no sangue e deixar a pessoa satisfeita por mais tempo.

óleo de chia é muito benéfico para a saúde e beleza do corpo, pois estimula a formação de colágeno, que proporciona maior elasticidade à pele.

Salvia divinorum

Imagem: Salvia divinorum

A salvia divinorum é uma planta alucinógena nativa do México. A planta tem sido historicamente usada por xamãs para atingir estados alterados de consciência e tem crescido em popularidade como uma droga recreativa; as folhas podem ser comidas ou defumadas. 

O ingrediente ativo dessa Salvia, salvinorina A, é considerado um dos medicamentos psicoativos mais potentes que existem naturalmente. Os efeitos deste medicamento incluem alucinações, tonturas, distúrbios visuais, entre outros.

Embora a sálvia seja legalizada em alguns países, ela é uma droga poderosa com efeitos reais e possíveis riscos. Esse tipo de sálvia geralmente é utilizado a partir de seu extrato em vaporizadores ou por meio da ingestão de folhas frescas. Folhas secas podem apresentar efeitos alucinógenos muito potencializados.

Apesar do uso de Salvia divinorum ser considerado seguro, ele não tem sido muito estudado. Entretanto, o National Drug Intelligence Center (NDIC) não aconselha que seja ingerido mais de 0,0005 gramas desse tipo de sálvia.

Um estudo mostrou que o uso de Salvia divinorum pode ter efeitos negativos na aprendizagem e prejudicar memórias de longo prazo.

Não é indicada nenhuma forma de ingestão de Salvia divinorum. Mas se você quer utilizá-la em algum ritual, procure um médico ou um psiquiatra para saber como lidar e reduzir seus possíveis danos. O cultivo de salvia divinorum no Brasil é proibido pela Anvisa. Se você não cultiva, mas tem a planta em sua casa, considere-a uma droga a ser mantida longe de crianças e animais de estimação.

Imagem: cultivando sálvia

Como cuidar:

Esta é uma planta muito sensível a falta de luz ou água, geralmente ela fica bem murcha quando por algum motivo se esquece de regá-la por vários dias, porém seu metabolismo rápido também tem uma vantagem, ela recupera-se facilmente uma vez que as regas sejam restabelecidas.

Devido a esta característica, escolha um local para plantá-la onde receba bastante luz solar, prepare o solo de forma a deixá-lo rico em nutrientes, através da mistura de adubo orgânico, e irrigue a planta regularmente. Antes de cada floração adicione um pouco mais de fertilizante no solo, tanto orgânico quanto NPK rico em fósforo, após o murchamento das flores, realize uma poda de limpeza na planta.


Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.