Suculentas

Suculenta Pedra da Lua: Pachyphytum oviferum

Pachyphytum oviferum ou pedra da lua, como é mais conhecida é uma espécie suculenta de pequeno porte da família Crassulaceae, amplamente cultivada por colecionadores de todo o mundo.

pedra da lua possui um nome científico de pronúncia um pouco complicada, Pachyphytum Oviferum, onde Pachy vem do grego e significa “grosso” e Phyton que significa “planta”, entregando a maior característica da muda de pedra da lua, que são as suas folhas mais grossas.

Oviferum, por sua vez, é uma palavra em latim que pode ser traduzida livremente como “aquela que carrega ovos” e mais uma vez faz referência ao formato das suas folhas, que são arredondadas e bem preenchidas.

A espécie Pachyphytum oviferum é nativa do México, ocorrendo naturalmente em penhascos rochosos do estado de San Luis Potosí.

Muitas plantas suculentas são conhecidas por suas aparências incomuns, que lhes permitem serem confundidas com formações geológicas. A suculenta pedra da lua, conhecida no exterior como moonstone succulent, é uma delicada representante desta categoria de plantas. Suas folhas assemelham-se a pequenos seixos arredondados, de aparência fosca, apresentando diversas nuances acinzentadas, azuladas, esverdeadas e rosadas, sempre em um discreto tom pastel.

O aspecto empoeirado do Pachyphytum oviferum é devido à deposição de pruína sobre suas folhas suculentas. Trata-se de uma substância de natureza cerosa, impermeável, que se assemelha a um pó translúcido. Sua função é proteger o tecido vegetal da perda de água por evaporação, nos ambientes quentes e secos que constituem o habitat da suculenta pedra da lua.

Além disso, a semelhança desta e diversas outras plantas suculentas com pedras não é uma mera coincidência ou capricho da natureza. Como vivem em habitats semiáridos, em solos arenosos, entremeadas por rochas, a suculenta pedra da lua e suas congêneres beneficiam-se de suas aparências pétreas, de modo a se camuflarem com o entorno, escapando da ação de predadores herbívoros.

Como se não bastasse tanta delicadeza, a suculenta pedra da lua ainda produz pequenas flores branco esverdeadas, em formato de sino, tipicamente entre o final do inverno e início da primavera. De modo geral, as inflorescências das plantas suculentas são todas muito parecidas, entre si. Além disso, como consomem bastante energia da planta, muitos cultivadores preferem poupá-la do processo e cortam as hastes florais, assim que elas surgem.

Dicas para cultivar a suculenta Pachyphytum oviferum

Essa espécie é facilmente cultivada tanto no jardim, como dentro de casa e seus requisitos de cultivo são mínimos. Ela é indicada para iniciantes devido à sua boa resistência à seca. É só seguir esses cuidados básicos:

Iluminação:

A suculenta pedra da lua precisa de bastante luminosidade para crescer de forma compacta. Além disso, a luz solar é essencial para que suas folhas adquiram este delicado colorido rosado. Quanto mais luz puder ser fornecida à planta, mais atraente ficará seu aspecto vegetativo.

No entanto, como sempre, é importante proteger a planta do sol mais intenso, nas horas mais quentes do dia, principalmente durante o verão. Também é fundamental que a planta seja acostumada ao sol pleno de forma gradativa, caso tenha sido previamente mantida dentro de casas e apartamentos.

Nestes ambientes internos, a suculenta pedra da lua deve ser cultivada bem próxima a uma janela ensolarada. Coberturas, varandas e jardineiras externas, expostas ao sol pleno, também são boas opções para o cultivo do Pachyphytum oviferum. Em ambientes muito sombreados, a pedra da lua tende a ficar estiolada, apresentando um maior espaçamento entre as folhas. Além disso, seu caule fica mais fino, comprido e frágil.

Poda:

Essa suculenta tende a ficar estiolada quando cultivada dentro de casa, sem receber luz suficiente. Caso a planta esteja muito pescoçuda, convém realizar uma poda drástica, popularmente conhecida como decapitação de suculentas.

Basta cortar a roseta superior, no ápice do caule, e plantá-la separadamente. O segmento remanescente pode continuar a ser cultivado normalmente, já que produzirá novos brotos e ramificações, que podem ser utilizados para a propagação da suculenta pedra da lua.

Anúncio

Substrato:

O melhor substrato para o cultivo do Pachyphytum oviferum é aquele que se assemelha ao encontrado em seu habitat de origem. A suculenta pedra da lua aprecia um solo arenoso, bem aerado, rapidamente drenável e pouco compactado. De modo geral, estas misturas são pobres em matéria orgânica. Substratos próprios para o cultivo de cactos e suculentas são vendidos prontos para o uso, em lojas de jardinagem especializadas. Alternativamente, uma solução caseira pode ser obtida através da mistura de terra vegetal e areia grossa de construção, em partes iguais.

Irrigação:

Não há uma frequência ou intervalo fixos para as regas da suculenta pedra da lua. Tudo vai depender do clima local, estação do ano e material do vaso. O importante é que o substrato não fique úmido por um período muito prolongado. Uma nova rega somente deve acontecer quando o solo estiver bem seco ao toque do dedo. Neste momento, podemos perceber que o vaso fica mais leve, fato que pode ser usado como um indicativo para ajudar a saber o melhor momento para regar.

Fertilização:

A suculenta pedra da lua não precisa ser adubada com muita intensidade ou frequência. Um fertilizante de manutenção, do tipo NPK, próprio para o cultivo de cactos e suculentas, é suficiente para fornecer os nutrientes necessários para um bom desenvolvimento do Pachyphytum oviferum.

Pragas e doenças:

A suculenta pedra da lua é propensa ao ataque por pulgões, cochonilhas e caracóis. Os caracóis são capazes de criar buracos em caules e folhas dentro dos quais fungos mortais podem se proliferar. Cochonilhas e pulgões aparecem principalmente nos caules e nas articulações das folhas.

Como fazer mudas de Pachyphytum oviferum

A muda da suculenta pedra da lua pode ser feita com as folhas, que devem ser retiradas inteiras, sem faltar nem um pedaço e colocadas num berçário com substrato leve e solto e sem regar. As folhas têm alimento e água suficiente para que brote novas folhas e forme a mudinha da planta, além de não ter ainda raiz para absorver a água.

Assim que formar uma roseta com várias folhinhas e criar raiz, a mudinha já pode ser plantada no vaso e colocada ao sol aos poucos para ganhar resistência e se desenvolver.

Quando a plantinha começar a escapar das bordas do vaso é hora de colocá-la em um vaso maior.

Outra forma de fazer muda é com a decapitação, onde se retira parte das folhas no meio da roseta quando ela está mais alta, corta-se o caule com um objeto esterilizado para evitar contaminações, passa canela ou outro cicatrizante no corte e coloca em um substrato de suculentas sem molhar por em média 15 dias até começar a soltar raiz e cicatrizar o corte.

Não é necessário regar, visto que a planta ainda não tem raízes para absorver a água.

Deve ser passado canela também nos cortes da parte da planta que ficou no vaso, após a decapitação e esperar, pois vai nascer novas mudas nos cortes e onde foi tirado as folhas.

Pachyphytum oviferum é usado para decorar vasos pequenos devido ao seu tamanho pequeno, mas em vasos maiores, mais de uma planta tende a ser plantada, aglomerando-se em cachos, ficando com o visual ainda mais exuberante.

Essa linda plantinha da família das Crassuláceas, é uma daquelas suculentas que nos despertam o desejo de apertar suas folhas, de tão fofas que são. Uma beleza da natureza que quem conhece tem vontade de ter uma!

Você também pode gostar...

1 comentário

  1. Vergílio Altoé diz:

    Tenho dois vasos grandes.
    Recém plantados, ficando bonitos à proporção que vão crescendo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.