Plantas Suculentas

Tradescantia spathacea: como cultivar Abacaxi roxo

A Tradescantia spathacea é uma planta perene de folhagem ornamental que pertence à família commelinaceae. No modo popular é conhecida pelo nome de abacaxi roxo, apesar de não produzir o fruto e nem pertencer à mesma família.

Originária das Américas Central e do Norte, trata-se de uma pequena planta, com um porte de 30 a 40 centímetros de altura. Forma rosetas densas e simétricas, semelhantes às bromélias.

O gênero botânico Tradescantia é relativamente pequeno, abrigando 75 espécies. Outra espécie bastante popular, comumente cultivada em ambientes internos, é a Tradescantia zebrina, conhecida como Lambari roxo.

Geralmente, suas folhas são verdes na parte superior e roxo na inferior. Contudo, há diversas variações com esquemas de cores distintos. Por exemplo, a variedade  que mescla tons de creme, verde claro e pink, em listras na parte superior das folhas, que apresentam o verso em um tom púrpura mais escuro, é denominada Tradescantia spathacea ‘Tricolor’.

Há também, uma versão chamada Tradescantia spathacea ‘Vittata’, cujas folhas mesclam tons de amarelo e verde, também listradas. Estas são versões variegatas do abacaxi roxo, que também pode existir em uma forma totalmente verde, denominada Tradescantia spathacea ‘Concolor’.

A Tradescantia spathacea é conhecida, a depender da região, como Moisés no Berço. No exterior, esta espécie também é conhecida como boat lily ou oyster plant. Estes termos (berço e barco) fazem referência ao aspecto das brácteas em torno das inflorescências brancas, cujo formato lembra uma pequena canoa. No entanto, a floração do abacaxi roxo é bem discreta, sendo considerada de pouca importância ornamental.

Ganha especial destaque quando combinada com outras plantas que contrastam com os seus tons e que forma ótimas composições com outros tipos de flores em gramados, paredes e jardins rochosos.

Outra característica atraente da Tradescantia spathaceaé é a facilidade de adaptação em diferentes terrenos e temperaturas. Quando cultivado ao ar livre, sob sol pleno, o abacaxi roxo exibe cores mais intensas e contrastantes, em suas folhagens.

Como cuidar de abacaxi roxo

Apesar da planta ser bastante resistente, não devemos esquecer de alguns cuidados básicos para que ela cresça bonita e saudável. Veja as dicas a seguir para o cultivo da Tradescantia spathacea.

  • Luz: Pode ser cultivada em diferentes condições de luminosidade, sol pleno ou luz difusa, contudo o sol direto nas alturas de maior calor pode queimar as folhas. As cores da planta são realçadas pela luz solar.
  • Temperatura: A planta aprecia temperaturas amenas situadas entre os 16 e os 21ºC, mas tolera outras temperaturas, desde que não sejam inferiores a 7ºC.
  • Regas: A rega deve ser moderada, mas com o cuidado de manter o solo ligeiramente húmido, porém sem encharcamento. Na fase de maior calor borrife as folhas com água. No inverno requer menos rega.
  •  Solo:  Aprecia solos ricos em matéria orgânica, com boa drenagem. Se a terra de plantio for demasiado argilosa, convém misturar alguma areia.
  • Fertilização: Adubar durante seu desenvolvimento ativo na primavera e verão, com NPK 10-10-10 e no fim do inverno usar esterco de gado bem curtido ou composto orgânico. Recomenda-se o replantio a cada 2 anos.
  •  Poda: A planta requer uma poda de limpeza e de controle. Retiram-se folhas e ramos secos ou doentes e cortam-se os excessos de modo a manter o crescimento da planta sob controle.
  •  Cuidados: A planta é considerada toxica, pode causar irritações na pele. É recomendado o uso de luvas durante o seu manuseio.
  • Multiplicação: Propaga-se pela separação dos rebentos laterais que surgem à volta do caule, por estacas e por sementeira.
  • Floração: As flores surgem na Primavera e no Verão. As suas inflorescências são discretas com flores pequenas e delicadas de tonalidades brancas ou lilases. Surgem na base das folhas e não apresentam grande importância ornamental.
  • Curiosidades: As Tradescantias são plantas bioindicadoras biológicas de possíveis riscos à saúde humana, ou seja elas refletem o estado biótico ou abiótico da área ambiental que as circundam.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.